Prefeito demonstra que idade ajudou a aprimorar habilidades política e administrativas.

 

Marcus Vinícius

 

O craque Júnior, um dos ditos heróis do Flamengo na conquista do Mundial Interclubes em Tóquio-Japão, no ano de 1981, dedicou a sua vida ao clube. Na Gávea, levantou várias vezes a taça de campeão estadual, brasileiro, libertadores, e a sua maior glória, o mundial.

Leovegildo Lins da Gama Junior fez 865 partidas pelo Flamengo, mas no ano de 1992, atuando como meia, liderou o Flamengo ao título brasileiro, no Brasileirão daquele ano.

Em 1989, aos 35 anos e a pedido de seu filho, que nunca o vira jogar pelo Flamengo, Júnior voltou para comandar a equipe rubro-negra nas conquistas da Copa do Brasil de 90, o Campeonato Estadual de 91 e o Brasileirão de 92. Com os cabelos brancos, Júnior foi apelidado pelos jovens que compunham o time da Gávea de vovó, e na imprensa ficou o apelido de “Vovó-Garoto”, cravado nas transmissões esportivas de Galvão Bueno na Globo.

O Vovó-Garoto Júnior não atua mais entre as quatro linhas, mas neste sábado pode ter o prazer de ver o seu Flamengo repetir a façanha de 1981, chegando ao bi-campeonato mundial, justamente à frente do mesmo Liverpool, que ele, juntamente com Zico, Andrade, Adílio, Nunes e Leandro derrotaram 36 anos atrás.

Fora das quatro linhas, outro craque continua batendo um bolão. Falo agora do prefeito Iris Rezende Machado, que neste dia de hoje completa 86, que é também a idade de minha mãe, dona Euza Ferreira de Faria.

Acompanho com especial interesse a fase atual de Iris. Apesar da idade provecta ele continua dando mostras de vitalidade e lucidez. Não digo isto apenas do ponto de vista cognitivo, mas político. O prefeito de Goiânia tem feito um trabalho exitoso na recuperação das finanças da prefeitura, que tem despertado interesse de outros entes da federação, seja por parte do governo federal, cujos técnicos da Secretaria do Tesouro Nacional elogiaram publicamente o ajuste fiscal realizado por Iris a partir de 2017, quando assumiu o comando do Poder Executivo Municipal.

Num dos últimos balanços realizado à Câmara Municipal, Iris demonstrou nos primeiros oito meses deste ano de 2019, foram investidos R$ 853,8 milhões em ações e serviços públicos de saúde. Foram aplicados na Saúde 19,83% da receita de impostos líquida e de transferências constitucionais e legais. O limite constitucional para investimento nessa área é de 15%. Para a Educação foram destinados R$ 651,7 milhões ou 22,41% da receita. Até o final do ano o município deve atingir o limite de 25% definido pela Constituição Federal.

Este equilíbrio nas finanças permitiu a Iris assinar com a Caixa Econômica, o contrato de empréstimo que vai destinar cerca de R$ 780 milhões em recursos para investimentos em obras de mobilidade e infraestrutura por toda a capital. O valor foi autorizado pela STN. Os recursos vão custear 11 grandes projetos, entre eles a reconstrução asfáltica de quase 630 quilômetros de vias da capital.

Por todo lado são visíveis as obras da prefeitura de Goiânia para melhorias na infraestrutura viária, como a recém inaugurada Trincheira da Rua 90, avanços na construção do BRT-Norte Sul e nos viadutos na Avenida Jamel Cecílio e na 2ª Radial no Setor Pedro Ludovico.

A experiência de Iris aos 86 anos continua dando lições importantes para os administradores públicos em Goiás e no Brasil.

Vivemos um período peculiar no Brasil, onde pela primeira vez teremos mais adultos e idosos do que jovens e crianças. Por isto é importante testemunhar o êxito do “vovó-garoto” Iris, que assim como o seu homônimo no futebol, continua fazendo gols de placa.