O apresentador e radialista Adolfo Campos morreu de infarto em sua casa, em Goiânia, nesta quinta-feira, 8 de outubro. Ele tinha 61 anos e trabalhava na Rádio Bandeirantes 820 e na TV Serra Dourada.

Adolfo Campos, se foi, e sem ele o radio esportivo ficou mais pobre e mais triste.

Adolfo apresentou a jornada esportiva na última quarta-feira na Radio Band-FM sem apresentar nenhum mal-estar. Ao longo desta semana acompanhei sua participação alegre, divertida  no Jornal do Meio-Dia da TV Serra Dourada.

Seu jeito moleque, bom frasista, bem-humorado, fará muita falta na “latinha”, mas fará mais falta ainda àqueles que como eu tinham por ele a estima que se tem por um amigo.

Natural de São Luís de Montes Belos, Adolfo Campos deixa o filho Adolfo Neto e os enteados Paula e André.

Ao longo da carreira, ele exerceu as funções de repórter, narrador, comentarista e apresentador. Adolfo Campos passou pelo Escrete de Ouro, da Rádio Brasil Central, pela Rádio Difusora, pela Rádio Bandeirantes 820 e pela Rádio Sagres. Ele ainda atuou na TV pela TBC, TV Serra Dourada e TV Anhanguera.

Em maio de 2013, Adolfo Campos perdeu a mulher Denise Gomes de Alencar. os dois sofreram um acidente automobilístico no Setor Vale das Pombas, em Goiânia, na divisa com o município de Senador Canedo.

Adolfo iniciou a carreira em 1978 na rádio Anhanguera, hoje rádio CBN, do Grupo Jaime Câmara. “Comecei a fazer esporte por volta de 1980. Não parece, pela minha elegância. Então são mais de trinta anos de carreira, mas comecei uma criança”, disse em entrevista ao portal UOL.

Ainda não há informações sobre velório e sepultamento.