Depois de mais de dois anos, o Ministério Público do Rio (MP-RJ) concluiu a investigação sobre o suposto esquema de rachadinha no gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), no período em que foi deputado estadual no Rio. O senador e o ex-assessor Fabrício Queiroz serão denunciados pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Do Jornal O Globo – De acordo com a reportagem do jornal O Globo, o senador Flávio Bolsonaro  será apontado como líder da organização criminosa, e o ex-assessor Fabrício Queiroz, como o operador do esquema de corrupção que funcionava no antigo gabinete na Assembleia Legislativa. A denúncia, com cerca de 300 páginas, já está pronta e seria entregue ao Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) ainda nesta segunda-feira.

Inicialmente, O Globo divulgou que a denúncia já havia sido feita. O MP enviou um comunicado à imprensa, no entanto, informando que “até o momento, não há denúncia ajuizada contra o atual senador Flávio Bolsonaro nas investigações referentes a movimentações financeiras e m seu ga binete no período em que era deputado estadual”.

“A Instituição lamenta e repudia a divulgação de notícias relacionadas a investigações sigilosas, sem qualquer embasamento ou informação oficial por parte do MPRJ, o que causa prejuízo à tramitação do procedimento e desinformação junto ao público”, completa a nota.

Promotores afirmam, com base nos dados das quebras de sigilo bancário e fiscal, que o senador utilizou ao menos R$ 2,7 milhões em dinheiro vivo do esquema das rachadinhas. O senador teria usado ainda três métodos para lavar o dinheiro.

O esquema de rachadinha na Alerj já era investigado há mais de dois anos.

Com informações do Brasil247 e DCM

 

Leia também:

‘Passando a boiada’: Ricardo Salles acaba com proteção a reservas ambientais de manguezais e restingas

 

Live das 5 – PF intima Boulos a depor sobre postagem e quem bomba nas redes é Micheque

 

Revelação das finanças de Trump desfaz imagem de milionário bem sucedido, por Heloisa Villela