O longa Democracia em Vertigem, da cineastra brasileira Petra Costa foi apresentado no Festival de Sundance, nos EUA, e recebeu crítica elogiosa do jornal The New York Times.

O Festival de Sundance foi criado pelo ator e diretor Roberto Redford em 1978, e busca evento busca dar foco em filmes de baixo-orçamento ou de profissionais em início de carreira. O site Pragmatismo Politico registrou que após sua estreia no Festival de Sundance nos Estados Unidos,  “Democracia em Vertigem” recebeu  elogios do jornal The New York Times:

 

Um documentário absolutamente vital (…) Petra usa seu filme para explicar a história complicada do Brasil e avisar que mesmo uma democracia aparentemente estável e próspera pode cair no caos em instantes”, disse o crítico Noel Murray do NYT. Já a revista Variety posicionou a cineasta em uma lista de “10 documentaristas para assistir em 2019”.

A crítica mais chocante veio do portal também norte-americano Indie Wire: “Uma visão assustadoramente pessoal sobre o início de uma ditadura de extrema-direita”.

Petra Costa aproveitou o envolvimento de sua família com setores políticos para aprofundar as relações de poder em sua obra. O acesso a este mundo garante uma visão pessoal para explorar a crise política instalada no país.

“A podridão chegou à superfície, temos que acabar com o silêncio e o esquecimento, desabafa Petra
Costa”

 

Clique aqui e veja entrevista com Petra Costa ao Nocaute, site do escritor e jornalista Fernando Morais:

 

Trailler do Netflix: