Neste  domingo (8), às 12 hs acontece em Goiânia a 24ª Parada do orgulho de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexuais (LGBTI). Com o tema “50 anos da Revolta de Stone Wall Inn. Mais Democracia e direitos”, a concentração será às 12h na Praça Cívica, com o desfile pelas avenidas Araguaia, Paranaíba e Tocantins.

Este ano a organização do evento é feita pela Articulação das ONGs LGBTI de Goiânia (Artong), formada pela Associação das Paradas de Goiânia e Goiás, Grupo Eles por Eles, Fórum de Transexuais de Goiás e Associação de Cidadania e Direitos Humanos. A parada tem apoio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos da Prefeitura de Goiânia.

Artong irá premiar instituições e pessoas que contribuíram no último ano com os mais de 150 mil homossexuais e trans que vivem em Goiânia. Entre os premiados estará o Supremo Tribunal Federal (STF) por ter equiparado a Homofobia e Transfobia ao crime de racismo, além de vereadores que votaram a favor do  projeto do conselho municipal LGBT.

Este ano, a Defensoria Pública do Estado de Goiás (DPE-GO) estará no evento. De acordo com o órgão, haverá uma tenda de direitos humanos do Núcleo, com defensores públicos e representantes de outras instituições da rede de proteção de direitos humanos. Também haverá o Bloco Defensoras e Defensores de Direitos Humanos e Diversidade, que participará de todo o evento.

Trajeto

Cerca de 25 agentes vão fazer o controle viário na 24ª Parada do Orgulho LGBTI +, no domingo, 8 de setembro. Serão 15 agentes da Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT) e 10 do Batalhão de Polícia Militar de Trânsito (BPM Tran).

Os manifestantes vão se concentrar na Praça Cívica a partir das 12h. O anel interno da praça, que já estará interditado em razão de outro evento, permanecerá fechado ao trânsito até as 21h, horário previsto para o encerramento da parada.

O início da caminhada pelas avenidas Araguaia, Paranaíba e Tocantins está marcado para às 17h e, nesse momento, o trânsito também no anel externo da Praça Cívica deve ser interrompido momentaneamente. As avenidas não serão interditadas, mas o tráfego de veículos será interrompido nas vias para a passagem dos manifestantes, o que deve tornar o trânsito bastante lento na região.