Jornal GGN – Com 99,8% das urnas apuradas, o candidato da esquerda no Peru, Pedro Castillo, lidera a corrida presidencial com 50,2% dos votos válidos. O professor de ensino básico já declarou vitória, embora as autoridades eleitorais tenham manifestado intenção de aguardar a finalização das urnas. O resultado deve ser proclamo entre esta terça e quarta (10).

Em entrevista à TVGGN, na segunda (7), o ex-deputado federal e ex-presidente do PT, José Genoíno, disse que a eleição no Peru rende lições à esquerda brasileira. Isso porque a esquerda “iluminada” no Peru, representada pela candidatura de Veronika Mendoza, não chegou ao segundo turno após uma inflexão ao centro.

A esquerda que chegou com chances de vitória sobre a representante da direita, Keiko Fujimori, foi descrita por Genoíno como “fundamentalista e obscurantista”, por representar sentimentos ultraconservadores da população.

Já o programa econômico de Castillo, o que diz? Segundo um texto divulgado no site “Peru livre” pelo secretário geral nacional do Partido Político Nacional do Peru Livre, a cartilha é a mais “incômoda para a direita” por defender Estado forte e economia girando em torno dos interesses do povo. Reproduzimos abaixo:

Substituir o modelo neoliberal ou Economia Social de Mercado por uma proposta que denominamos Economia Popular com Mercado, enfatizando que a economia girará em torno dos interesses do povo.

O livre empreendedorismo não pode ser apenas privado, mas também público. O mito de que as empresas estatais são um fracasso é uma falácia. Temos exemplos de sucesso no país como Sima Peru, Banco de la Nación, Cofide, Enaco, EsSalud, Editora Peru, TV Peru, etc.

O Estado não deve ser reduzido a um simples promotor, fiscalizador ou cobrador de impostos, mas precisamos de um Estado controlador, planejador, empresário, protetor, inovador e regulador do mercado.