Na sua coluna “Xadrez Político”, jornalista mostra como vários grupos bolsonaristas se digladiam no Ministério da Saúde tentando obter vantagens em esquemas nada republicanos.

Por Luis Nassif, no Jornal GGN

O dia de ontem terminou com a mídia, em geral, em franca confusão a respeito do caso do cabo da Polícia Militar Luiz Paulo Dominguetti, que se apresentou no Ministério da Saúde oferecendo 40 milhões de vacinas da Astra Zeneca. Dizia representar a distribuidora americana,  Davati Medical Supply.

Parece impossível qualquer relato que coloque lógica nessa loucura:

Peça 1 – os antecedentes

O presidente Jair Bolsonaro é denunciado pelo deputado Luiz Miranda, seu antigo apoiador, acusado de não ter tomado providências em relação a denúncias de irregularidades na compra de vacinas. Segundo Miranda, Bolsonaro teria manifestado seu descontentamento com Ricardo Barros, líder do governo, e pessoa que indicou o principal suspeito, o diretor de Logística do Ministério. Mas não tomou nenhuma atitude.

Miranda denuncia o caso para a mídia. Nos dias seguintes aumenta a fervura do caso e Ricardo Barros entra na linha de fogo.

 

Clique Aqui e leia a matéria completa

 

Veja também:

Covid-19 – No ritmo atual, o país irá contabilizar 20,5 milhões de casos e 563 mil mortes até 25/7, por Felipe A. P. L. Costa