Na festa em Buenos Aires, multidão pediu Lula Livre em coro e Cristina alertou empresários sulamericanos para risco do ajuste permanente.

Veja como foi:

 

No exterior, o presidente Bolsonaro criticou a escolha do povo argentino:

Lamento. Não tenho bola de cristal, mas acho que a Argentina escolheu mal”. Jair Bolsonaro, presidente da República, em Abu Dhabi, afirmando que não vai cumprimentar pela vitória o presidente eleito do maior parceiro comercial do Brasil na América do Sul.

No Brasil, deputados de oposição criticaram a fala presidencial:

O que dirige a diplomacia no governo Bolsonaro é a cegueira ideológica. Bolsonaro diz que não vai parabenizar Alberto Fernández e ameaça excluir Argentina do Mercosul. Fernández é “comunista”. Mas [Bolsonaro] manteve relações comerciais c/ a China “capitalista”. Oi? Erika Kokay, deputada federal (PT-DF).

Bolsonaro diz que não vai cumprimentar Alberto Fernández, eleito presidente na Argentina. Essa atitude, misto de mesquinhez com infantilismo, ajuda a isolar ainda mais aquele cujo apoio despenca. Seu governo promove crises que serão encerradas pelo povo na rua. Ivan Valente, deputado federal (Psol-SP).

Já você, Bolsonaro, apoiar abertamente o derrotado Macri e não aceitar a decisão soberana do povo argentino é o quê? Ser presidente da República é diferente de ser chefe de milícia e/ou patrono de clã mafioso! Chico Alencar, ex-deputado do Psol.