Só nesse fim de semana o patriota Luciano Hang ameaçou demitir 22 mil funcionários se o governo decretar quarentena. O empresário Roberto Justus disse que o coronavírus é um “viruzinho, uma gripezinha que não vai chegar nas favelas”. A elite bolsonarista é uma vergonha. Sâmia Bomfim, deputada federal (Psol-SP)

 

O empresário Roberto Justus está mais preocupado com o impacto do coronavírus na economia do que na saúde pública.

Deixou isso claro em áudio que gravou no whatsapp, que o deputado federal Rogério Correia reproduziu no twitter.

Justus vai na mesma linha de Jair Bolsonaro, segundo o qual a doença é uma “gripezinha” e os danos à economia podem causar mais mal que a própria pandemia.

Há um crescente debate entre os que defendem medidas amplas e rigorosas contra o vírus e os que dizem que elas deveriam ser focadas nos mais vulneráveis.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que haja paralisação total, para atenuar a curva de disseminação do vírus e evitar a sobrecarga do sistema de saúde — o que em si pode causar mais mortes.

A situação dramática da Itália é apontada como exemplo do que pode acontecer em outros países se medidas drásticas não forem tomadas.

Porém, existem infectologistas que argumentam que seria melhor deixar o vírus circular entre as pessoas jovens e que não têm problemas crônicos de saúde, garantindo a chamada “imunidade de rebanho”.

Assim, não haveria novas ondas de contaminação no futuro.

A opinião deles está sendo abraçada, em maior ou menor escala, por líderes políticos como Donald Trump e Jair Bolsonaro, além de empresários como Luciano Hang e Roberto Justus.

“Não podemos deixar que a cura seja pior que o próprio problema. No final do período de 15 dias, tomaremos uma decisão quanto ao caminho que queremos seguir!”, tuitou o presidente Donald Trump na madrugada desta segunda-feira.

O governo Trump recomendou distanciamento social na semana passada. Medidas mais sérias foram tomadas nos focos da epidemia nos Estados Unidos — pelos governadores de Nova York, Califórnia e Washington.

Trump não explicou quais são as opções diante de seu governo.

De acordo com o New York Times, 40% das pessoas internadas no país por causa do coronavírus têm menos de 54 anos de idade. O diário publicou um texto de uma professora de ioga que foi para o hospital com falta de ar apesar de ter apenas 26 anos.

Fonte: Viomundo