Bolsonarista convocou manifestação na frente do hospital onde menina, que foi estuprada pelo tio, fez aborto para salvar a própria vida.

O Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES), por meio da Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de São Mateus, propôs uma Ação Civil Pública (ACP) contra a ativista de direita Sara Fernanda Giromini, também conhecida como Sara Winter.

Ela teve acesso, de forma ilegal, a detalhes do caso da menina de 10 anos que foi violentada pelo tio e acabou engravidando. O processo corre em segredo de justiça.

 

A criança sentiu alívio ao saber da prisão do abusador.

Ela disse a uma enfermeira: “Ainda bem, porque o vovô pode sair para a rua agora”.

Segundo reportagem do jornal O Globo, ela temia que o tio matasse seu avô e era essa ameaça que a impedia de denunciar os abusos que sofria, de acordo com o relato da avó a uma enfermeira.

O abusador foi preso nesta terça-feira (18) na cidade de Betim (MG). Afirmando que foram utilizadas “técnicas de inteligência e monitoramento” da polícia para a realização da prisão, o delegado Ícaro Ruginski disse que os familiares do homem não dificultaram a ação da polícia e, a princípio, não responderão criminalmente por terem abrigado o suspeito.

 

Fonte: MP-ES, Folha de Vitória, Brasil247