Os registros semanais de mortes por covid-19 no Brasil deram um salto nas últimas quatro semanas e quase triplicaram. Há dois meses, o número total de óbitos a cada sete dias cresce sem parar no país, segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Entre os dias 3 de janeiro e 20 de fevereiro, os casos fatais se mantiveram em um platô que girava entre 6,5 mil e 7,5 mil por semana. O cenário já era considerado preocupante porque se assemelhava aos registros dos piores momentos que o país havia vivido até então.

No entanto, a partir da segunda semana de fevereiro, o total de óbitos por período começou a crescer de maneira nunca antes observada. Na ocasião o colapso do sistema de saúde do Amazonas já estava consolidado e outros estados começavam a mostrar preocupação.


Número de óbitos semanais por covid entre 10/02 e 14/04 / Michele Gonçalves

A chamada semana epidemiológica 7, que compreende o período entre 14 e 20 de fevereiro teve registro de 7.445 mortes. No dado consolidado mais recente, correspondente à semana que se encerrou no último sábado (10), o Brasil confirmou mais de 21 mil mortes.

CovidBrasil tem quase 20 mil mortos em 7 dias e ultrapassa 13 milhões de infectados

Nesse intervalo, o país registrou sucessivos recordes em diversos dados relativos à pandemia do coronavírus. A média de mortes em sete dias está acima de 2 mil desde 17 de março e já ultrapassou 3 mil por cinco vezes.

Há um mês, na metade do mês de março, o número de contaminados pela covid que terminaram falecendo ultrapassou 15 mil em sete dias.

No mesmo período, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informava que o país vivia o pior colapso da saúde de toda a história.

Dias depois, a entidade recomendava a adoção de medidas rígidas para conter a circulação, com restrições por 14 dias. Na época, o número de óbitos por semana havia ultrapassado 15 mil pela primeira vez.

O total de casos também estava em patamares nunca antes observados. Por três semanas, esse dado chegou a ultrapassar 500 mil. A informação mais atual, da semana passada, registra mais de 491 mil infectados em sete dias.

Na evolução do número de contaminados é possível notar a velocidade cada vez maior na propagação. Foram mais de quatro milhões de novos casos confirmados nos últimos dois meses.

Números diários

Nesta segunda-feira (12), o Brasil registrou 35.785 novos casos de covid-19, de acordo com as informações do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). Mais de 13,5 milhões de pessoas já foram contaminadas pelo coronavírus em território nacional.

:: Adultos de 30 a 59 anos concentram novos casos de covid e mudam perfil dos internados ::

Somente nas últimas 24 horas houve a confirmação de 1.480 mortes. O total de óbitos chegou a 354.617. A média em sete dias continua acima de 3 mil, patamar que vem sendo registrado seguidamente desde sábado.

Saiba o que é o novo coronavírus

É uma vasta família de vírus que provocam enfermidades em humanos e também em animais. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que tais vírus podem ocasionar, em humanos, infecções respiratórias como resfriados, entre eles a chamada “síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS)”.

Também pode provocar afetações mais graves, como é o caso da Síndrome Respiratória Aguda Severa (SRAS). A covid-19, descoberta pela ciência mais recentemente, entre o final de 2019 e o início de 2020, é provocada pelo que se convencionou chamar de “novo coronavírus”.

Como ajudar quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo.

A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

 

Edição: Leandro Melito