O ex-governador de Goiás e ex-presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Helenês Cândido, morreu na noite de quarta-feira, 17, vítima de covid-19. Ele estava a caminho de Caldas Novas, quando finalmente seria internado em uma UTI.

A covid-19 não escolhe vítimas, ontem foi a óbito o ex-governador e ex-presidente da Assembleia Legislativa Helenês Cândido. Natural de Morrinhos ele estava internado em enfermaria e aguardava leito de UTI, mas não resistiu

O drama de Helenês tomou conta dos debates na Alego (Assembleia Legislativa do Estado de Goiás) na tarde de ontem, durante sessão extraordinária..No momento dos debates de projetos que envolvem a situação da pandemia de covid-19 no estado, o deputado tucano, Francisco Oliveira solicitou orações e empenho de todas as autoridades no sentido de conseguir, com urgência, uma UTI para o ex-deputado Helenês Cândido. A vaga surgiu em Caldas Novas, no entanto, chegou tarde. Durante a transferência ele veio a óbito.

Helenês tinha 86 anos e possuía comorbidades – era hipertenso e diabético. Ele havia sido diagnosticado com covid-19 e aguardava um leito de UTI. Saindo de Santa Helena, onde estava internado na enfermaria, a caminho para Caldas Novas, ele seria internado no Hospital Nossa Senhora Aparecida. Mas Helenês não resistiu e acabou morrendo.

Helenês nasceu em Morrinhos, em 5 de janeiro de 1935. Foi deputado estadual por três mandatos e governador do Estado de Goiás de 24 de novembro de 1998 a 1 de janeiro de 1999. Era advogado, tendo sido formado na Faculdade de Direito de Uberlândia (MG). Seu primeiro emprego foi de secretário de escola e professor, tendo ajudado na instalação do Colégio Estadual Xavier de Almeida, em Morrinhos. Participou da fundação da Companhia Telefônica de Morrinhos, do  Sindicato Rural, da Cooperativa de Leite e do Jóquei Clube do município.

Foi prefeito Municipal de Morrinhos, pela Arena, de 1973 a 1977. Nesse período, foi presidente da Associação Goiana dos Municípios (AGM) de 1974 a 1975. Seu primeiro mandato de deputado estadual também foi pela Arena, de 1979 a 1983. No segundo biênio dessa Legislatura, ocupou a vice-presidência da Assembleia Legislativa. Já no PMDB (atual MDB), foi eleito deputado estadual suplente em 1990. Foi empossado em abril de 1994, efetivando-se até o final da Legislatura. Em 1994 foi eleito deputado estadual pelo PMDB. Em 1997 foi eleito presidente da Assembléia Legislativa e ficou no cargo até novembro de 1998, quando afastou-se do cargo para assumir a  Governadoria do Estado por 37 dias. Em 2000 e 2001 foi presidente estadual do MDB.

Em 2016, o ex-deputado Helenês Cândido esteve na Assembleia Legislativa para conceder entrevista à TV Assembleia e Agência de Notícias para o projeto “Memórias do Legislativo”. Durante a entrevista, o ex-deputado relatou um pouco de sua trajetória quando entrou para a política em 1978 pela Aliança Renovadoraa Nacional (Arena), partido político criado em 1965 com a finalidade de dar sustentação política ao governo civil-militar instituído no Brasil em 1964.

Helenês se filiou ao PMDB em maio de 1983, onde permaneceu até o final de sua jornada pública. Ele contou, na época da entrevista, que esteve à frente da direção de diversos órgãos de destaque do Estado, como Iquego, Dergo e Crisa.

“Em 97 e 98 fui presidente da Assembleia e trouxe muitas mudanças pra cá. Viajamos para Belo Horizonte e São Paulo e aderimos benfeitorias de lá. Trouxemos pra cá o painel que registra a presença dos deputados, o atendimento humanizado, o plano de cargo de salários e muitos outros avanços”, pontua. A entrevista, publica pela Agência de Notícias, pode ser conferida aqui. 

Em razão do falecimento, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Lissauer Vieira (PSB), e o governador Ronaldo Caiado (DEM), decretaram  luto oficial por três dias.

 

Com informações da Agência Assembleia de Notícias