Morreu na manhã de sábado (26) o ex-secretário de Justiça do Rio Grande do Sul José Paulo Bisol, aos 92 anos.

Da RBA

Segundo o Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre, onde estava internado desde o dia 31 de maio, a morte foi decorrente de falência orgânica múltipla.

Nascido na capital gaúcha em 22 de outubro de 1928, fez graduação em Direito pela PUC em 1954 e iniciou a carreira política em 1982 no PMDB. Foi deputado estadual entre 1983 e 1987 e senador entre 1987 e 1995 pela legenda.

Filiado ao PSB, em 1989 foi candidato a vice na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva. Em nota, o ex-presidente disse que Bisol “foi o melhor companheiro que eu poderia ter naquela jornada”, fazendo referência ao pleito.

“Fomos companheiros de chapa, eu no PT, ele no PSB de Miguel Arraes, em 1989. A campanha de 1989 foi a primeira da Nova República e de uma geração de brasileiros que podiam finalmente escolher seu presidente, e foi certamente a mais emocionante da minha vida”, afirmou Lula.

Mais tarde, Bisol foi secretário de Justiça do Rio Grande do Sul durante o governo de Olívio Dutra e, em 2000, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores. “Sua trajetória pautada pela coragem, sempre em defesa da democracia, disputou uma outra visão de justiça e de segurança pública, fundamentada nos Direitos Humanos”, postou o deputado federal Bohn Gass (PT-RS).

A ex-deputada e ex-candidata à vice-presidência em 2018, Manuela D’Ávila, também manifestou pesar. “Logo que fui eleita deputada federal, há 15 anos, visitei Bisol. Fui ouvi-lo e aprender com ele. Hoje, ele se despede de nós e eu sigo me inspirando em seu exemplo em defesa da democracia, dos direitos humanos e de uma nova política de segurança pública.”

Bisol deixa esposa, três filhos, nove netos e um bisneto. Confira aqui entrevista concedida por Bisol à RBA em 2017.