A militar Pam Keith, que tentou ser deputada federal pelo estado da Flórida, usou suas redes sociais para chamar Bolsonaro de genocida e defendeu uma intervenção dos EUA no Brasil. Nas redes brasileiros reagiram.

A política do presidente Jair Bolsonaro ante a pandemia da COVID-19 segue sendo alvo de críticas pelo mundo. Ontem (27), foi a vez da integrante do Partido Democrata dos Estados Unidos, Pam Keith, que concorreu ao cargo de deputada federal nas últimas eleições.

Apesar de ter perdido a eleição para o republicano Brian Mast, que teve 56,3% dos votos, Pam Keith, que também é militar, possui grande influência nas redes sociais. Em suas redes, ela chamou o presidente brasileiro de “um bruto corrupto, genocida e incompetente”.

Em seguida, Pam Keith defendeu uma solução intervencionista para a crise envolvendo a COVID-19 e o governo brasileiro.

Repito meu alerta de que a crise da COVID-19 no Brasil é um problema sério. A falta de liderança de Bolsonaro está criando uma crise econômica e de saúde, culminando em um escândalo político de proporções épicas. Os EUA precisam ser proativos e liderar uma intervenção internacional.

Ainda de acordo com uma sequência de publicações de Pam Keith, “estou convocando um esforço internacional (não apenas dos Estados Unidos), transparente e humanitário que realmente ajude na distribuição e infraestrutura. Trata-se de salvar vidas”, escreveu.

Neste domingo (28), em resposta aos seus seguidores, a democrata voltou a criticar o presidente do Brasil, comparando-o com o ex-presidente dos EUA, Donald Trump.

[Não importa] quais eram as realidades de Trump/Bolsonaro, nosso irresponsável, incompetente e corrupto ditador se foi. O seu não. Brasileiros estão morrendo agora! A exigência é agora! Não estou perguntando ou mesmo pensando que os brasileiros confiariam nos EUA. Estou pedindo uma resposta da coalizão internacional.

Reação

Com licença? @PamKeithFL, esta é uma declaração tão irresponsável, para não dizer imperialista. Você pode querer se informar antes de fazer tais observações. Eu sugiro assistir nosso filme #DemocraciaEmVertigem no Netflix”, pediu a diretora Petra Costa

“A congressista gringa (Partido Democrata) que estava pedindo intervenção dos EUA no Brasil apagou o post e me bloqueou. Mandar vacina? Respiradores? Equipamentos para leito de UTI? Não. Tem que colonizar. E mais raiva eu tenho de brasileiro de esquerda que flerta com essa ideia!”, escreveu o historiador Jones Manoel.