O jornalista Miguel do Rosário, editor do site O Cafezinho, é especialista em jornalismo investigativo. Foi dele o furo de reportagem revelando que documentos que comprovavam o desaparecimento na Receita Federal de documentos que comprovavam a dívida de cerca de R$ 700 milhões do Grupo Globo. Nesta postagem, ele mostra que desde que os procuradores de Curitiba (PR) resolveram desmontar a Petrobrás, e a empresa passou por cortes e o fechamento de refinarias, aumentou despesa do Brasil com a importação de combustível.

O principal produto importado pelo Brasil não são vacinas para nossas crianças. Não são maquinários para nossas indústrias. Não são celulares e computadores para nossos cidadãos se conectarem ao mundo. O produto que mais importamos é óleo diesel para nossos caminhões.

Ainda bem que a Lava Jato foi criada apenas em 2014, senão teríamos que importar muito mais óleo diesel, visto que a operação conseguiu paralisar, suspender ou mesmo cancelar a construção de várias refinarias, mas não teve tempo de fazer o mesmo com a Abreu e Lima, especializada justamente na produção de diesel.

O Brasil não precisaria importar quase nada de diesel, se tivesse conseguido completar as refinarias do Rio, do Maranhão e de outros estados.

Ao invés de estarmos torrando nossas reservas cambiais com diesel, gasolina, nafta, plataforma de petróleo, carvão, fertilizantes à base de petróleo, poderíamos estar renovando o maquinário de nossas indústrias, ou mesmo montando complexos industriais inteiramente novos, na área da mobilidade urbana (ferrovias, metrôs, vlts), petroquímica, saúde e defesa.

Nos últimos 9 anos, as despesas com importação de diesel somaram quase 55 bilhões de dólares, o que corresponde, em reais, a 220 bilhões…
o acumulado dos últimos 12 meses até abril, o Brasil importou o equivalente a US$ 5,6 bilhões em óleo diesel, ou 22,3 bilhões de reais. Houve queda de 13% em relação ao mesmo período de 2018, porque a crise econômica está grande, o preço do petróleo subiu e tem menos caminhão rodando na praça.

Os dados são oficiais, do próprio governo brasileiro, colhidos no ComexStat, o banco de dados público da Secretaria de Comércio Exterior.

Entretanto, quando olhamos para o rosto do Tio Sam, ele continua sorrindo maliciosamente.

As importações de óleo diesel dos EUA sofreram uma queda irrisória, de 3%.

A participação das refinarias norte-americanas na importação de óleo diesel pelo Brasil, porém, bateu recorde histórico, atingindo 87% nos últimos 12 meses.

Para ler mais clique AQUI.