Flamengo conquista a sua 1ª  tríplice coroa, no ano de 1981. Rubro-negro levanta as taças do Carioca, Brasileirão e da  Libertadores em 2019 e já obtém três conquistas no ano de 2020.

  

Renato Dias,

Especial para o Onze de Maio

Três títulos. Em 20 dias. Primeiro, o Campeonato Carioca. Segundo, a Taça Libertadores das  Américas. Terceiro, o Mundial de Clubes. A primeira tríplice coroa nunca deve ser esquecida. É a caminhada, em 1981, do Clube de Regatas Flamengo. O time-base era formado por Raul; Nei Dias, que havia sido campeão, em 1977, pelo Vila Nova [GO]; Mozer, Figueiredo e Júnior; Andrade, Adílio e Zico; Tita, Nunes e Anselmo. O técnico? Ah! O elegante Paulo Cesar Carpegianni. Rei da América Latina, maestro, o Galinho de Quintino fez dois gols no Maracanã, na vitória por 2 a 1 contra o Cobreloa, do Chile. A segunda partida o Fla perdeu por 1 a zero, em Santiago. Sob a ditadura de Augusto Pinochet.  A terceira, em Montevidéu, a capital mais charmosa do Cone-Sul, 2 a zero. Com dois gols do  camisa 10 rubro-negro.  Mais:  Liverpool, da Inglaterra, Reino Unido, tomou uma goleada. Três a zero: dois de Nunes e um do meia Adílio.

Tríplice coroa

Trinta e oito anos depois, a segunda tríplice coroa. Carioca, Brasileiro e Libertadores. Uma nova geração. Com Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Aarão, Gerson e Arrascaeta; Everton Ribeiro, Gabigol e Bruno Henrique. A final da Libertadores constituiu-se em um verdadeiro teste para cardíaco, admite o empresário Haendel Bittes. O River Plate vencia por um a zero, recorda-se o homem do mercado. O Flamengo virou para 2 a 1 e ainda deu tempo para Gabigol ser expulso, comemora José Sebba Júnior, um rubro-negro em estágio terminal. Doente, resume.  Já o ano de 2020 começa com três títulos em curto espaço de tempo, informa Jardel Sebba, ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, ex-prefeito de Catalão, deputado estadual por quatro mandatos consecutivos, governador do Estado interino por duas ocasiões especiais, médico, produtor rural e rubro-negro fanático.

A referência é em relação à Supercopa do Brasil, com 3 X 0 no Clube Atlético Paranaense, assim como com a Recopa  Sul-Americana, com uma goleada por três a zero no Independiente Del Valle, além da Taça Guanabara, ao sapecar o Boavista, afirma o ex-goleiro e coordenador de escolinha de futebol Adelson Feitosa. O projeto da diretoria do Flamengo é ganhar, em 2020, a Taça Rio, o Carioca, o Campeonato Brasileiro, a Libertadores e o Mundial de Clubes, diz Gustavo Sebba.  O que diferencia o time de 1981 do elenco de 2019 e 2020 é a categoria, a cadência, do primeiro esquadrão, e a intensidade, velocidade, letalidade exigida pelo Mister Jorge Jesus, um português, acredita José Sebba Júnior. Haendel Bites concorda. Palmeiras e Santos seriam, hoje, os dois principais rivais do clube da Gávea. A receita projetada para o Clube de Regatas Flamengo em 2020 é de R$ 1 bilhão. É difícil competir no mesmo patamar.