Um membro da Marinha foi detido por militares dos Carabineros após participar de desordens públicas, no último domingo (18) durante as manifestações que ocorreram na capital do Chile, Santiago, e culminaram no incêndio da Igreja institucional dos Carabineros.

A instituição, por meio de um comunicado, rejeitou categoricamente a participação do servidor naval em atos violentos “completamente distintos dos regulamentos atuais e dos princípios e valores que nos orientam”.

Verificados os fatos denunciados contra ele, acrescenta a Marinha, “serão aplicados os regulamentos e as medidas disciplinares institucionais”.

Em relação ao membro da instituição detido, a Marinha confirmou que “corresponde a um cabo da Base Naval Aérea de Concón, que estava de folga”.

“Atualmente o integrante da instituição está detido na 19ª Delegacia de Polícia de Providencia, à disposição dos tribunais competentes para a respectiva investigação”, acrescenta.

“A Marinha do Chile condena com veemência estes fatos e se for comprovada a participação deste membro da instituição, tomará as medidas disciplinares correspondentes”, conclui a nota.