O colunista do Globo Bernardo Mello Franco repercutiu nesta quinta-feira 26/XII a derrota do ministro Sergio Moro após Jair Bolsonaro manter a criação do chamado juiz de garantias na sanção do pacote “anticrime”.

“A criação do juiz de garantias é a maior derrota imposta a Sergio Moro desde que ele abandonou a toga para entrar na política. O ministro da Justiça já havia sido contrariado outras vezes pelo Congresso e pelo próprio chefe. Mas a nova figura jurídica, sancionada na véspera do Natal, é uma resposta direta à sua atuação na Lava-Jato”, diz Mello Franco.

(O Conversa Afiada recomenda, também, a leitura da opinião do respeitado advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que classificou o episódio como uma derrota acachapante do Moro!).

“É uma grande ironia. No chamado pacote Moro, foi aprovada uma medida que acaba com o jeito Moro de julgar”, diz o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), um dos autores da proposta sancionada por Bolsonaro e citado por Mello Franco na coluna.

“Ao reclamar da sanção presidencial, Moro deu mais combustível aos congressistas que festejavam sua derrota. ‘Perdeu e passou recibo. Deve ter sido o pior Natal da vida dele’, provoca Paulo Teixeira”, finaliza o texto.