Após o discurso contra as instituições e insinuando que quer Estado de Sítio, lideranças do PSDB, MDB e Solidariedade passaram a defender o impeachment do presidente Jair Bolsonaro

Por meio das redes sociais, os líderes do MDB, PSDB e Solidariedade reagiram ao discurso de Bolsonaro. Paulinho da Força (SDD) disse no twitter, que o impeachment entrou no radar do partido:

Na próxima semana, vou reunir a executiva do Solidariedade para debatermos o posicionamento do partido sobre abertura do processo de impeachment de Bolsonaro. Mais uma vez, o presidente afrontou a democracia e deu provas de que não vai parar com os ataques às instituições

O Presidente do PSDB, Bruno Araújo, anunciou também pelo twitter que convocou reunião Extraordinária da Executiva para esta quarta-feira, para diante das gravíssimas declarações do presidente da República no dia de hoje, discutir a posição do partido sobre abertura de de Impeachment e eventuais medidas legais.

 

“Com as declarações de hoje, não dá para partido político se esconder”, disse Bruno Araújo, em entrevista ao site da CNN Brasil. “Tem de haver posição clara do que pensa e como age cada partido em relação a esse vergonhoso momento da história brasileira.”

O governador de São Paulo e pré-candidato à presidência João Doria, pela primeira vez falou publicamente sobre o impeachment de Bolsonaro.

“Eu até hoje nunca havia feito nenhuma manifestação pró-impeachment, me mantive na neutralidade, entendendo que até aqui os fatos deveriam ser avaliados e julgados pelo Congresso Nacional”, avaliou.

As declarações do governador paulista foram feitas Doria  no Centro de Operações da PM (Copom) onde ele acompanhando os atos em São Paulo.

“Mas depois do que assisti e ouvi hoje, em Brasília, sem sequer estar ouvindo, ele, Bolsonaro, claramente afronta a Constituição. Ele desafia a democracia e empareda a Suprema Corte brasileira.”

Por meio das redes sociais, o PSDB anunciou que debaterá uma possível adesão à abertura de processo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. O presidente da legenda, Bruno Araújo, convocou reunião extraordinária da Executiva tucana para discutir o tema. O encontro deve ser realizado nesta quarta-feira (8).

 

O deputado federal Baleia Rossi, presidente nacional do MDB, emitiu nota oficial do partido:

“O MDB respeita divergências programáticas, mas se aferra à Constituição que determina a independência harmônica entre os poderes. Contra isso, o próprio texto constitucional tem seus remédios em defesa da democracia, que é sinônimo da vontade do povo.
Baleia Rossi

São inaceitáveis os ataques a qualquer um dos poderes constituídos. Sempre defendo a harmonia e o diálogo. Contudo, não podemos fechar os olhos para quem quem afronta a Constituição. E ela própria tem os remédios contra tais ataques.

Independência é um substantivo feminino como democracia. Uma só é forte com a outra. Precisamos, mais do que nunca, ressaltar: somos uma nação constituída por poderes independentes e harmônicos. Com serenidade e diálogo, vamos seguir na luta contra qualquer tipo de retrocesso”, pontou.

 

João Pedro Stedile ressalta adesão do PSDB ao Fora Bolsonaro: “Está caindo a ficha”

 

Fux deve se pronunciar nesta quarta sobre ataques Bolsonaro ao STF e Moraes

 

Paulinho da Força se manifesta a favor de impeachment; Kassab cria comissão no PSD