O portal Brasil 247,  publica hoje a tradição de manchete do maior jornal do planeta, o New York Times, que  registra com espanto e ironia o escândalo do Aerococa: “O presidente Jair Bolsonaro do Brasil prometeu perseguir implacavelmente os traficantes de drogas. Agora, está duramente pressionado para explicar como um avião presidencial transportou 39 quilos de cocaína através do Atlântico durante uma viagem oficial”

A reportagem do NYT foi assinada pelo correspondente no Rio de Janeiro, Ernesto Lodoño. O título da reportagem é de uma ironia cortante: “White Powder, Red Faces: Cocaine Cargo Aboard Brazil Presidential Plane” ( “Pó branco, rostos vermelhos: a carga de cocaína a bordo do avião presidencial do Brasil”).

A maneira como o jornal indexou o assunto é indicativa do estado de espírito a respeito de Bolsonaro e do escândalo: “bolsonaro-staff-cocaine-bust” (bolsonaro-equipe-cocaína-apreensão”.

Segundo o texto de Lodoño, “apesar do extraordinário constrangimento extraordinário para o senhor Bolsonaro, ele exaltou a integridade e o profissionalismo das Forças Armadas brasileiras (…) e chamou de `inaceitável´ o que aconteceu, prometendo uma `punição severa´ para o envolvido”.

De acordo com o Brasil 247, o NYT  ainda informa que o segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues saiu do avião carregando uma sacola e uma mala de mão, e quando os inspetores do aeroporto revisaram a sacola, encontraram 37 pacotes de cocaína e nada mais.

Pesquisa mostra evangélicos decepcionados com Bolsonaro

A Revista Fórum, do jornalista Renato Rovai, publica hoje no seu site, pesquisa produzida pelo instituto Ideia Big Data, divulgada nesta quinta-feira (27) pela revista Época, revela que 25% dos evangélicos que votaram em Jair Bolsonaro para a presidência consideram o governo ruim ou péssimo.

O mesmo levantamento mostra que entre esses eleitores, 40% classificam a gestão Bolsonaro como regular. Segundo o Big Data, 69% dos evangélicos votaram no capitão no segundo turno – na pesquisa foram ouvidos 800 deles, entre os dias 13 e 17 de junho.

A pesquisa mostra ainda que 88% são contra a ideia de que meninos devem usar azul e meninas rosa, defendida pela ministra da pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

Menos de 15% deles defendem a política ambiental do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.