O Brasil deu adeus a duas referências, uma na cultura, outra na arquitetura e administração.

O Morro da  Estação Primeira de Mangueira amanheceu triste com a morte do sambista Nelson Sargento. Em Curitiba um de seus filhos mais ilustres também fez a passagem: Jaime Lerner, que foi prefeito da Capital paranaense e governador de Estado.

Samba

O  sambista carioca Nelson Sargento, faleceu aos 96 anos, vítima de covid-19. Sargento era presidente de honra da Escola de Samba Mangueira e autor de diversos sucessos como “Agoniza, mas não morre”.

Além de cantor e compositor, Sargento também era admirável nas artes plásticas e no campo da escrita. Infelizmente, o sambista foi diagnosticado com o novo coronavírus na última sexta-feira (21), quando foi internado.

Para o professor e escritor Luiz Ricardo Leitão, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), “a herança deixada pelo Nelson para a nossa cultura, não tem preço”.

Leitão é doutor em estudos literários pela Universidad de La Habana, coordenador do Acervo Universitário do Samba e autor do livro Noel Rosa: Poeta da Vila, Cronista do Brasil e das biografias de Aluísio Machado, Zé Katimba e Rosa Magalhães. Ele diz que Sargento vai servir como um farol dando luz para todos aqueles que fazem parte da resistência pela cultura popular brasileira

Eixo Anhanguera 

Jaime Lerner, 83,  estava internado desde domingo (23) no Hospital Evangélico Mackenzie, em Curitiba, e teve complicações de doença renal crônica.

Urbanista, foi responsável por projetos de arquitetura e urbanismo em cidades como Goiânia (Eixo Anhanguera) e ainda São Paulo, Rio, Recife, Salvador, Aracaju, Natal, Campo Grande e Niterói (RJ).

O eixo Anhanguera foi introduzido em Goiânia 1975, no governo de Irapuam Costa Jr.,  quando era prefeito Francisco de Castro. Lerner trouxe para capital Goiânia a sua experiência em Curitiba: BRT e terminais de integração, sistema que ainda opera no Eixo Leste-Oeste (Eixo Anhanguera) e que está sendo retomado com o BRT Norte-Sul projetado pelo prefeito Paulo Garcia.

Lerner foi três vezes prefeito de Curitiba. Ganhou notoriedade internacional por seu projeto de planejamento urbano e da transformação do transporte público da capital paranaense. Foi, também, duas vezes governador do Estado do Paraná.

Lerner foi consultor em assuntos urbanos para as Nações Unidas e participou do desenvolvimento do BRT no Rio de Janeiro, um dos principais meios de transporte durante a Olimpíada de 2016.

Jaime Lerner foi premiado no Concurso Nacional de Projetos pelo edifício-sede da Polícia Federal, em Brasília, em 1967 e em 2007 recebeu da XI Bienal Internacional de Arquitetura de Buenos Aires o prêmio conjunto pela urbanização Pedra Branca.