A notícia de que o presidente Jair Bolsonaro compartilhou em rede social um convite para manifestação “Foda-se”  no próximo 15 de março, que  pede o fechamento do Congresso Nacional, provocou reações em lideres politicos das mais variadas matizes, de Lula, Doria, Ciro a FHC e a reação da OAB, STF e até no meio militar.

Deputados apoiadores de Bolsonaro vem usando as redes para fazer a mesma convocação.

Partidários do presidente dizem que pretendem prestar solidariedade ao ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Alberto Heleno, que disse que o Congresso está chantageando o governo.

A disputa é em torno da execução orçamentária. Bolsonaristas reclamam que, ao invadir atribuições do presidente, o Brasil vive um “parlamentarismo branco”.

Porém, no chamamento para a manifestação há ataques frontais aos presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, e ao Supremo Tribunal Federal.

Um vídeo traz fotos de políticos de todos os partidos e ministros do STF e uma descarga é acionada para fazê-los desaparecer.

Apoiadores do presidente descrevem a manifestação como mais um episódio no confronto institucional entre militares e o Congresso.

A convocação que a jornalista Vera Magalhães diz ter sido feita por Bolsonaro causou reação imediata.

Bolsonaro, ao que tudo indica, cometeu crime de responsabilidade previsto na Constituição que jurou respeitar mas, certamente, nunca leu”, disse o presidenciável petista Fernando Haddad no twitter.

O ex-presidentes Lula e Dilma exortaram reação do Congresso Nacional, consideeando o ato crime de responsabilidade de Bolsonaro.

Lula disse:

“É urgente que o Congresso Nacional, as instituições e a sociedade se posicionem diante de mais esse ataque para defender a democracia”.

Dilma reagiu:

“Torna-se  urgente e necessária forte resposta   das  instituições ou o País mergulhará, mais uma vez, na escuridão das ditaduras”.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, também no twitter, escreveu:

“A ser verdade, como parece, que o próprio Presidente tuitou convocando uma manifestação contra o Congresso (a democracia) estamos com uma crise institucional de consequências gravíssimas. Calar seria concordar. Melhor gritar enquanto se tem voz, mesmo no Carnaval, com poucos ouvindo”.

Outros tucanos  condenaram o golpismo bolsonarista, entre eles o governador de São Paulo, João Dória:

“Devemos repudiar com veemência qualquer ato que desrespeite as instituições e os pilares democráticos do país. Lamentável o apoio do Presidente Jair Bolsonaro a uma manifestação contra o Congresso Nacional”

Ex-chanceler no governo de Michel Temer(MDB), o ex- senador Aloysio Nunes  pression a cúpula tucana a subir o tom na oposição ao governo Jair Bolsonaro e reforçar o distanciamento com o ex-deputado federal tucano Rogério Marinho (RN), que assumiu o cargo de ministro do Desenvolvimento Regional.

“Existe uma série de temas que são muito caros ao eleitorado do PSDB que estão sendo agredidos pelo governo: meio ambiente, cultura, educação, direitos humanos. Não vejo no plano nacional uma manifestação a altura da gravidade dos temas”, disse ao jornal O Estado de S.Paulo .

O presidente do diretório paulista do PSDB, Marco Vinholi, tem o mesmo posicionamento.

“O PSDB deixou claro sua independência em relação ao governo desde o primeiro dia. Não compactuamos com extremismos, que se tornam cada vez mais comuns na pauta governista”, disse Vinholi.

O ex-ministro Ciro Gomes, do PDT, foi na mesma linha dos demais líderes oposicionistas:

Acredito na seriedade da jornalista @veramagalhaes [que noticiou a convocação]. Se o próprio presidente da República convoca manifestações contra o Congresso e o STF, não resta dúvida de que todos aqueles que prezam pela democracia devem reagir.

É criminoso excitar a população com mentiras contra as instituições democráticas e sem causa nenhuma, a não ser sua agenda anti-pobre, anti-produção e entreguista de nossas riquezas aos estrangeiros. Vamos lutar pela preservação da Constituição e pelo Brasil!

Que o Congresso, sob as lideranças de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, e o STF, com todos os Ministros, saibam reagir a essa ameaça.

A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) também ficou alarmada:

“Bolsonaro está disparando de seu celular pessoal vídeo no WhatsApp convocando manifestações contra o Congresso Nacional para o próximo dia 15 de março. O ato é CRIME DE RESPONSABILIDADE. Não podemos conviver com esse nível de ataque e não reagir à altura!”.

Glesi Hofmann, presidente do PT afirmou:

Muito grave que o presidente da república atente contra as instituições e a democracia. É uma escalada. Se coloca como patriota, justo e incorruptível. Explique Jair Bolsonaro o beijo a bandeira americana, o sofrimento do povo com renda baixa e Queiroz com as milícias q lhe acompanham”.

Ivan Valente, do Psol, acredita que a convocação é prenúncio de tentativa de golpe:

É muito grave Bolsonaro convocar ato. Uma manifestação que ataca o legislativo e o judiciário e buscar fortalecer o culto à sua personalidade é um chamamento ao fechamento do regime. De novo o fantasma das “forças ocultas” é evocado. Golpistas: não passarão.

Reação no Exército

Um generais fardados cuja foto foi usada para convocar a manifestação contra o Congresso, o deputado federal Roberto Peternelli (PSL-SP) desautorizou o uso da imagem. A informação é do jornal Estado de S.Paulo.

Creio que o objetivo fosse dar um cunho do Exército, e não dos generais individualmente. Mas as Forças Armadas pertencem ao Estado e não são partidárias. Ninguém me pediu para usar minha imagem. ‘Fora Maia e Alcolumbre’ é impróprio como o ‘fora Bolsonaro’”, diz ele

O general Carlos Alberto dos Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo, reagiu pelo Twitter nesta segunda-feira 24 aos protestos organizados para o dia 15 de março contra o Congresso Nacional. “Irresponsabilidade”, postou.

Exército Brasileiro – instituição de Estado, defesa da pátria e garantia dos poderes constitucionais, da lei e da ordem. Confundir o Exército com alguns assuntos temporários de governo, partidos políticos e pessoas é usar de má fé, mentir, enganar a população”, escreveu ainda Santos Cruz, sobre o mesmo cartaz.

OAB vê crime de responsabilidade

O presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Felipe Santa Cruz, disse que o ato do ‘foda-se’, convocado por Jair Bolsonaro e generais, pode abrir caminho para um pedido de impeachment.

É Inadmissível o presidente trair o que jurou ao Congresso, quando jurou defender a Constituição”.

Ao convocar o povo para um ato político contra o Congresso Nacional, Bolsonaro “conspira pela supressão da Constituição”, afirmou Santa Cruz, segundo a Folha de S.Paulo.

STF também vê crime de responsabilidade