Em entrevista à BBC de Londres, o ex-presidente do Banco Central seguiu o raciocínio do ex-presidente Lulae disse que o governo federal tem que gastar para tirar o país da crise. Ontem pelas redes sociais Lula tinha dito que Bolsonaro erra quando dá liquidez apenas aos bancos e deixa o povo sem nada.

 

Ex-presidente do Banco Central durante os governos do ex-presidente Lula (2003-2010) e atual secretário de Fazenda e Planejamento de São Paulo, Henrique Meirelles, diz que chegou a hora do governo federal aumentar fortemente suas despesas para conter o impacto do coronavírus sobre a saúde e a economia. Em entrevista à BBC News Brasil, ele diz que isso deve ser feito inclusive com a impressão de dinheiro pelo Banco Central (BC) e com a captação de recursos pelo Tesouro Nacional por meio da emissão de dívida.

Para Meirelles, a retração da economia agora será tão brutal que não existe risco de inflação caso a autoridade monetária emita moeda. Em bom português Meirelles diz que o governo Bolsonaro pode imprimir dinheiro e injetar na economia brasileira, fazendo a moeda circular, chegando a bolso dos brasileiros, e movimentando a roda econômica, com as compras da população nas micro, pequena, médias e grandes empresas.

Ontem (07/04), pelo twitter, Lula disse:

 “O governo está tratando essa crise como se fosse uma qualquer. Eles dão liquidez aos bancos enquanto aos pobres não se dá nada. Enquanto isso, os americanos e alemães estão imprimindo dinheiro. O Brasil precisa imprimir moeda urgente”, postou.

Cade o dinheiro dos bancos?

Lula foi mais além e questionou quando o sistema financeiro brasileiro – leia-se Itaú, Bradesco, Santander  -, vai injetar dinheiro na economia.

“Cadê os grandes empresários, os banqueiros que ganharam dinheiro a vida inteira neste país? Qual é o gesto que eles fazem? O gesto é esfregar o Banco Central e fazer com que ele coloque R$ 1,3 trilhão para dar liquidez aos bancos para eles ficarem mais ricos e não emprestar para ninguém. A prioridade deveria ser garantir que os mais pobres pudessem pelo menos comprar uma cesta básica”, afirmou Lula durante videoconferência com o governador do Piauí, Wellington Dias, o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS).

O ex-presidente também criticou a falta de uma politica de reconversão industrial por parte do governo Bolsonaro.

“Eu acho uma vergonha que esse país que já foi a sexta economia do mundo não tenha feito ainda uma política de reconversão industrial para produzir tudo o que a gente pode fazer. Cadê as Forças Armadas, elas têm mecanismos para isso, a indústria automobilística tem, a indústria têxtil tem, ou seja, tem muita gente que poderia estar produzindo não apenas o necessário para a gente utilizar, como também para suprir as deficiências da nossa economia exportando para outros países que não têm como fazer. Mas o Brasil não faz e a gente fica chorando ‘porque a China não sei o quê'”, completou, em referência aos problemas recentes com materiais importados dos chineses.

Lula disse, ainda, que Bolsonaro é um “inepto” e tem inveja de ministros e governadores.

“Eu falo à vontade porque perdi três eleições, e sempre fiz oposição democraticamente, mas um presidente da República que tem inveja dos seus ministros que ficam populares? Que tem inveja dos governadores que fazem uma coisa melhor do que ele? Um presidente da República que tem inveja de todo mundo que faz as coisas melhor do que ele porque ele não está preocupado em fazer nada de bem. Ele está preocupado em fazer fake news”, disparou.

Com informações do Twitter, Conversa Afiada, Brasil247