Pesquisa Atlas, publicada pelo El País mostra que presidente está em queda e tem ainda alta na rejeição.

De acordo com a pesquisa Atlas, numa simulação de primeiro turno das presidenciais, Bolsonaro aparece com 32,7% das intenções de voto, contra 27,4% de Lula. Na sequência, aparecem o ex-ministro Sergio Moro (9,7%), Ciro Gomes (7,5%), Luiz Henrique Mandetta (4,3%), o governador paulista João Doria (4,3%) e o apresentador Luciano Huck (2,5%). No cenário sem Lula, o ex-prefeito Fernando Haddad aparece em segundo lugar, com 15,4%.

Porém, a virada nas intenções de voto acontece em um possível cenário de segundo turno. Lula aparece com 44,9% contra 36,9% de Bolsonaro — oito pontos de diferença. Na simulação com Ciro, o pedetista também bate Bolsonaro (44,7% contra 37,5%).

O levantamento também mostra uma boa performance de Mandetta em um eventual segundo turno. O ex-ministro da Saúde bateria Bolsonaro por 46,6% contra 36,9%. Já o tucano Doria, adversário político declaro de Bolsonaro durante a pandemia, aparece empatado com o presidente da República. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Recorde de rejeição

A pesquisa Atlas, que foi realizada com 3.721 entrevistas feitas por questionários aleatórios via internet e calibra as respostas por um algoritmo de acordo com as características da população brasileira, também perguntou sobre a imagem do governo Bolsonaro e outros líderes políticos.

Na pesquisa, 60% da população desaprova Bolsonaro, contra 34,8% que o apoiam. O número equivale a uma queda de três pontos percentuais na aprovação em relação à pesquisa anterior, em 21 de janeiro.

Já o ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro Sergio Moro, aparece com recorde de rejeição (63%), a maior desde que o Atlas começou a medir.

Lula, por sua vez, aparece com os mesmos 36% de índice positivo do presidente, alta de três pontos em relação a janeiro, provavelmente o começo do reflexo de sua reabilitação política.

Segundo o Atlas, Luiz Henrique Mandetta é o político com a imagem mais positiva entre os líderes medidos pela pesquisa (40%), seguido por Bolsonaro, que tem 36% de imagem positiva, contra 60% de negativa.

Com informações do Yahoo Notícias