DEM empaca dois nomes na Mesa Diretora,  PSDB um,  decano Claudio Meirelles (PTC)  e o novato Rafael Gouveia (DC) também participam da direção dos trabalhos.
O deputado estadual Lissauer Vieira foi eleito para presidir a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) para o biênio 2019/2020 pelo voto de 37, dos 41 deputados. O delegado Humberto Teófilo (PSL) registrou chapa, apoiado pelo seu colega de bancada, Paulo Trabalho (PSL) e pelos deputados Amauri Ribeiro (PRP) e Chico KGL (DEM), mas manteve apenas os quatro votos de seus companheiros de chapa.
Além de Lissauer Vieira na presidência a Mesa Diretora é composta pelos deputados Dr. Antônio (DEM)  na primeira vice-presidência, Rafael Gouveia (DC); segundo vice-presidente, Cláudio Meirelles (PTC); primeiro secretário, Júlio Pina (PRTB); segundo secretário, Gustavo Sebba (PSDB); terceiro secretário e Iso Moreira (DEM), quarto secretário.
Em seu discurso de apresentação da chapa, Lissauer Vieira se comprometeu com a independência do Poder Legislativo.  “Estamos aqui para poder dialogar com os deputados como fizemos ao longo de todos esses dias de conversação, buscando o entendimento para podermos valorizar nossa Casa e trazer a população cada vez mais perto do Legislativo”, discursou. “Não vamos brincar com dinheiro público”, arrematou.
Regimento
Um dos compromissos do novo presidente é em relação a mudança no Regimento Interno da Assembleia Legislativa, que não sofreu mudanças nem com a redemocratização do país. Ao contrário: nos últimos 20 anos a Alego passou a ser mero gabinete de despacho do Executivo.
Na Assembleia Legislativa de Minas Gerais uma matéria precisa  de pelo menos quinze dias para ser apreciada e aprovada, em Goias um projeto pode ser aprovado num único dia. “Se ninguém pedir vista, se todas reuniões tiverem quórum, não der problema em nenhuma, eu acredito que, em duas semanas, dá para aprovar um projeto de lei em dois turnos”, informou em entrevista ao G1 Minas, o diretor de Processo Legislativo da ALMG, Marcelo Fonseca.
 Em Goiás, durante os 20 anos de governos do PSDB de Marconi Perillo e José Éliton, a Alego aprovava projetos de intertesse da governadoria numa maratona através do instrumento de sucessivas convocações extraordinárias pela presidência. Foi assim que matérias polêmicas como a privatização da Celg (Companhia Energética de Goiás) foram aprovadas em sessões que vararam a madrugada.
Posse
A cerimônia de posse dos deputados estaduais na 19 legislatura foi presidida pelo legislador mais votado, Henrique Cesar (PSC). Líder do Governo na Casa, o deputado Bruno Peixoto (MDB) falou em nome de todos os deputados empossados. Ele pediu em seu discurso um minuto de silêncio pelas vítimas do crime ambiental da Vale do Rio Doce em Brumadinho (MG) e disse que o Legislativo Goiano tem obrigação de alterar a legislação ambiental no Estado afim de evitar que se repita aqui a tragédia que abateu o povo mineiro duas vezes, numa referência ao rompimento da barragem de Mariana (MG) há três anos.
Bruno também falou sobre a crise econômica no Estado, salientando que  “é uma realidade palpável que afeta a indústria, o comércio, a agricultura e nossas casas. O Governador mostrou que está atento e pode debelar a crise. Ele vai corrigir o declínio da economia mesmo que isso signifique tomar medidas amargas e acabar com um modelo que se exauriu”, pontuou.
Presenças
A solenidade de posse  foi prestigiada pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), pelo prefeito de Goiânia Iris Rezende (MDB), pelo vice-presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador, Nicomedes Domingos Borges, pelos presidentes do Tribunal de Contas, conselheiro Celmar Rech, do Tribunal de Contas do Município, Joaquim de Castro, pelo ex-governador Maguito Vilela (MDB), pelo reitor da Universidade Federal de Goiás, Edward Madureira,; o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás, Sandro Mabel; o presidente da seccional goiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-GO), Lúcio Flávio de Paiva; E o presidente da União dos Vereadores de Goiás, vereador por Ipameri Ricardo de Oliveira Carneiro, e também o presidente estadual do MDB, Daniel Vilela.
Deputados que votaram em Lissauer Vieira (PSB)
Álvaro Guimarães (DEM)
Alysson Lima (PRB)
Amilton Filho (SD)
Antônio Gomide (PT)
Bruno Peixoto (MDB)
Cairo Salim (Pros)
Charles Bento (PRTB)
Cláudio Meirelles (PTC)
Coronel Adailton (PP)
Delegada Adriana Accorsi (PT)
Delegado Eduardo Prado (PV)
Diego Sorgatto (PSDB)
Dr. Antonio (DEM)
Gustavo Sebba (PSDB)
Helio De Sousa (PSDB)
Henrique Arantes (PTB)
Henrique César (PSC)
Humberto Aidar (MDB)
Iso Moreira (DEM)
Jeferson Rodrigues (PRB)
Julio Pina (PRTB)
Karlos Cabral (PDT)
Lêda Borges (PSDB)
Lissauer Vieira (PSB)
Lucas Calil (PSD)
Major Araújo (PRP)
Paulo Cezar Martins (MDB)
Rubens Marques (Pros)
Talles Barreto (PSDB)
Thiago Albernaz (SD)
Tião Caroço (PSDB)
Vinicius Cirqueira (Pros)
Virmondes Cruvinel (PPS)
Wagner Neto (Patriota)
Wilde Cambão (PSD)
Zé Carapô (DC)
Total: 37 votos
Deputados que votaram no  Delegado Humberto Teófilo (PSL)
Amauri Ribeiro (PRP) – votou em Delegado Humberto Teófilo
Chico KGL (DEM) – votou em Delegado Humberto Teófilo
Delegado Humberto Teófilo (PSL) – votou em Delegado Humberto Teófilo
Paulo Trabalho (PSL) – votou em Delegado Humberto Teófilo
Total: 4 votos