Deputado de Rio Verde está no segundo mandato e vai comandar o legislativo com respaldo de governistas, independentes e da oposição.

O deputado estadual Lissauer Vieira (PSB) deve ser eleito presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás na tarde desta sexta-feira (1º /02). Candidato único, após a retirada da candidatura do deputado Álvaro Guimarães (DEM),  Lissauer é um dos representantes de Rio Verde na Alego, ao lado de Chico KGL (DEM) e Karlos Cabral (PDT).
Na 18º Legislatura (2015-2018), Lissauer Vieira foi eleito pelo PSD, mas no meio do mandato assinou filiação ao PSB da senadora Lúcia Vânia, pelo qual  disputou a prefeitura de Rio Verde em 2016, conquistando 19.953 votos (20,52%). Na sua reeleição, Lissauer emplacou em Rio Verde 16.004 votos (18,67%), dos 37.550 que obteve em todo o Estado.
A eleição de Lissauer tem como padrinhos os deputados Iso Moreira (DEM), Dr. Antônio (DEM), Claudio Meireles (PTC), Humberto Aidar (MDB) e Luiz Cesar Bueno (PT). Os deputados do DEM divergiram da condução da eleição da Mesa Diretora feita pelo seu colega de bancada, Alvaro Guimarães. A partir daí foi lançada a candidatura do Dr. Antônio, o que levou ,à manifestação também pelas candidaturas de Aidar e Meirelles. O nome de Lissauer surgiu depois, quando a bancada do PSDB e aliados (PTB, PSD e PPS) que haviam hipotecado apoio a Guimarães, retiraram o apoio, que somava onze votos. Este movimento seria seguido depois por parte do PROS, MDB, PT e demais partidos, levando à retirada da postulação de Álvaro Guimarães. Ontem, ainda foi aventada a possibilidade de lançamento de Henrique Cesar (PSC), mas foi abortada em favor de uma chapa de consenso entre os deputados.
A solenidade de posse dos deputados para o mandato na 19ª Legislatura será realizada às 14 horas.  A posse dos legisladores será acompanhada pela sessão de eleição da nova Mesa Diretora para o biênio 2019/2020, constituída de presidente, 1º e 2º vice-presidentes, 1º, 2º, 3º e 4º secretários.
Mais votado preside
Pela tradição no Legislativo Goiano, o presidente da legislatura anterior é o presidente natural da cerimônia de posse, mas, como não foi eleito, o  deputado mais votado será convocado para presidir a sessão , honra que irá caber a Henrique Cesar (PSC)  que totalizou 46.545 votos no dia 02 de outubro de 2018.
Segundo informa a Agência Assembleia, após abrir a solenidade no Plenário Getulino Artiaga, o deputado Henrique César, no exercício da Presidência, vai declarar instalada a 19ª Legislatura e dará início à posse dos parlamentares eleitos. Em seguida, deverá convidar dois deputados de diferentes partidos para serem secretários. Os deputados diplomados pelo TRE-GO terão seus nomes lidos e serão convidados a ficarem de pé para prestar juramento.
Henrique César fará a leitura da declaração prevista no Regimento Interno: “Prometo desempenhar fielmente o meu mandato, promovendo o bem geral do Estado de Goiás, dentro das normas constitucionais”. Os demais parlamentares deverão responder em seguida: “Assim o prometo”.
Tão logo seja prestado o juramento acima, o presidente em exercício vai declarar os deputados empossados e iniciará a coleta de assinaturas de cada um dos parlamentares em livro próprio. O compromisso em si ocorre posteriormente, após eleita e empossada a nova Mesa Diretora, durante o período de recesso da Assembleia Legislativa. O deputado tem até 60 dias para tomar posse, prorrogável por igual período, mediante requerimento.
Mesa
Encerrada a solenidade de posse, será aberta a sessão para eleição da nova Mesa Diretora. São sete cargos: presidente; 1º e 2º vice-presidentes, e 1º, 2º, 3º e 4º secretários. O quórum de abertura exige maioria absoluta dos parlamentares para que seja realizada a votação nominal nos candidatos de cada um dos cargos da Mesa Diretora. O registro das candidaturas ou chapas é feito no início da sessão. Assim que os interessados se registrarem, inicia-se a votação por chamada nominal de cada deputado, que diz em voz alta os nomes e os cargos de seus candidatos.
Dois deputados, indicados pelo presidente em exercício e preferencialmente de partidos diferentes, são encarregados de acompanhar a apuração dos trabalhos junto à Mesa. Os votos são proclamados em voz alta pelo secretário e outros dois anotam os resultados, à medida em que forem apurados. O resultado final da eleição, redigido pelo secretário, é proclamado pelo presidente no plenário.
A eleição da Mesa Diretora tem algumas particularidades. Caso nenhum dos candidatos a qualquer cargo alcançar a maioria absoluta dos votos, será realizado um segundo turno de votação entre os dois mais votados. Será eleito aquele que atingir maior número de votos, e, em caso de empate, o mais idoso dentre os de maior número de legislaturas no Poder Legislativo Estadual. Caso seja chapa, será eleita a que receber mais votos.
Enquanto a eleição não for concluída, a Mesa Diretora em exercício, formada durante a solenidade de posse, continuará dirigindo os trabalhos e convocará quantas sessões extraordinárias sejam necessárias para definir os cargos. O Regimento Interno ressalva que a indicação dos candidatos ou a composição das chapas deve seguir a proporcionalidade dos partidos.
Encerrada a eleição, o novo presidente da Mesa Diretora, eleito para o primeiro biênio, assumirá imediatamente a Presidência e empossará os demais membros da Mesa e seus substitutos.(Com informações da Agência Assembleia).