Comentarista na Rádio CBN e articulista do portal UOL, o jornalista Kennedy Alencar diz que o discurso do presidente Jair Bolsonaro  (PSL) em favor da tortura e da ditadura, expresso no ataque à ex-presidenta do Chile, Michelle Bachelete, contribui para tornar o Brasil um pária mundial.

 

PUBLICADO NO BLOG DO KENNEDY

Com mais um ataque cruel e vulgar, dessa vez à Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet, o presidente Jair Bolsonaro implementa uma política isolamento do Brasil do resto do mundo.

O isolacionismo nas relações internacionais acontece quando um país decide se fechar para o resto do planeta por razões políticas, econômicas etc. Bolsonaro adotou uma política externa errada e executada com um estilo trapalhão, digamos assim.

Bachelet, ex-presidente do Chile, fez uma crítica que Bolsonaro poderia ter respondido. Ela acha que o espaço democrático no Brasil está diminuindo. Aliás, tem razão.

Mas Bolsonaro tinha o direito de responder. Só não poderia tê-lo feito com tamanha agressividade e crueldade. Ele se referiu de maneira desrespeitosa ao pai de Bachelet, um brigadeiro que se opôs ao golpe de Pinochet em 1973 e que foi torturado e morto pela ditadura chilena.

O Brasil não tem o peso geopolítico, militar e econômico dos Estados Unidos para que o presidente brasileiro aja como age seu colega Donald Trump.

Bolsonaro tem errado na área internacional. Está cultivando e estimulando o crescimento de uma imagem negativa do Brasil no mundo, algo que só trará mais consequências econômicas danosas ao país.

Leia mais:

DO TENENTISMO À DITADURA TEOCRÁTICA LAVAJATISTA DE CURITIBA: O QUE NOS SALVA?

Pinera rebate Bolsonaro