Brasil de Fato- São Paulo (SP) – O senador e ex-governador José Serra (PSDB) foi denunciado pela força-tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo por lavagem de dinheiro e, na manhã desta sexta-feira (3), alvo de operação de buscas e apreensão da Polícia Federal em em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Os depósitos teriam sido realizados por meio de uma rede de offshores no exterior

Os depósitos teriam sido realizados por meio de uma rede de offshores no exterior – Rovena Rosa/Agência Brasil

Segundo a denúncia oferecida pela Lava Jato, entre 2006 e 2007, o atual parlamentar utilizou o cargo de governador para receber pagamentos indevidos da construtora Odebrecht, em troca de benefícios nas obras do Rodoanel Sul. Os depósitos teriam sido realizados por meio de uma rede de offshores no exterior, com o objetivo de fraudar e enganar as órgãos de controle brasileiros.

Serra também teria recebido propina da Odebrecht por meio do empresário José Amaro Pinto Ramos, que já foi denunciado pelo Ministério Público da Suíça por lavagem de dinheiro, e Verônica Serra, filha do atual senador. De acordo com a Lava Jato, ambos teriam constituído empresas no exterior justamente para receber pagamentos da Odebrecht destinados ao ex-governador.

“Tais atos constituíram tão somente uma primeira camada de lavagem de ativos, a qual foi, contudo, seguida por outras, em um movimento típico de distanciamento e de dissimulação voltado a dificultar seu rastreamento e a ação dos órgãos de controle”, afirmam os procuradores na denúncia.

A denúncia é uma das etapas da investigação. Após ser apresentada ao Poder Judiciário, os órgãos colegiados decidem se aceitam ou não a denúncia. Em caso de aceite, devem transcorrer os atos de julgamento e, posteriormente, a decisão de absolver ou condenar.

Clique aqui para ler a denúncia na íntegra.

Edição: Leandro Melito