Medalhista de prata no Rio 2016 segue em busca da segunda conquista olímpica no C1 1.000m nos Jogos de Tóquio.

Na manhã desta sexta-feira no Japão (noite de quinta-feira no Brasil), no Sea Forest Waterway, o canoísta disparou na segunda bateria da preliminar e a venceu com o tempo de 3min59s894. A marca do brasileiro foi a melhor entre os 33 atletas que disputaram as cinco baterias dessa primeira fase.

Isaquias (acima) rema em Tóquio e avança para as semifinais do C1 1.000m . Já Jacky Godmann (abaixo) não se classifcou. Fotos: Breno Barros/rededoesporte.gov.br

“Fiquei mais leve depois dessa prova, estava um pouco tenso. Estamos nos Jogos Olímpicos, né? Foram cinco anos de treinamento. Qualquer atleta tem receio de errar. Mas eu senti que a raia está para mim, o vento está a meu favor. Depois dessa prova fiquei ainda mais confiante. Foi muita dedicação durante os últimos anos e não quero sair daqui sem medalha. Se sair sem medalha vou ficar triste, claro. Quero deixar 100% na água para todos verem que me dediquei e me doei ao máximo para representar o Brasil. O que eu treinei não foi brincadeira”, disse Isaquias, dono também de uma prata no C1 200m e um bronze no C2 1.000m, esta última ao lado do parceiro Erlon de Souza. As duas medalhas foram conquistadas no Rio 2016.

Quem também competiu nesta sexta-feira foi Jacky Godmann. O brasileiro disputou a terceira bateria e chegou na quarta posição, com o tempo de 4min24s732. Como somente os dois primeiros colocados avançavam diretamente para a semifinal, o canoísta foi para as quartas de final. O vencedor da bateria foi tcheco Martin Fuksa, com o tempo de 4min01s620.

Nas quartas de final, Jacky foi o sexto colocado, com o tempo de 4min18s208, não obtendo a classificação para a semifinal. Somente os dois melhores de cada uma das três baterias das quartas de final avançavam para a fase seguinte.

A disputa das semifinais está marcada para este sábado (07.08), a partir das 9h44 do Japão, 21h44 no horário de Brasília. A final está programada para as 23h53, de Brasília.

Fonte: Comitê Olímpico do Brasil