Durante lançamento da Reforma da UPA no Jardim Guanabara III, prefeito fez críticas à má qualidade do transporte coletivo na Capital.

O prefeito Iris Rezende (MDB) adiantou que pretende reunir-se com o governador Ronaldo Caiado (DEM) para discutir melhorias no serviços de ônibus para os usuários da região metropolitana.

Durante coletiva à imprensa ele “rasgou o verbo” contra aquilo que considerou “uma porcaria”, assinalando que o governador anterior (Marconi Perillo) “meteu a cara no que não era dele e deixou essa porcaria que está hoje aqui, sem rumo”, ao se referir sobre o transporte coletivo.

Confira a declaração:

“A questão do transporte urbano de Goiânia é uma das questões mais complexas da cidade. Na minha administração passada, em 2005, instituímos em Goiânia o melhor transporte do Brasil, abrimos licitação, chegaram 1,2 mil ônibus zero quilômetro, com equipamentos para os cadeirantes, para que os idosos tomassem os ônibus e aí veio o governo passado e se meteu de tomar conta do transporte urbano da região metropolitana e deixou isso que está aí, um instrumento de sofrimento do povo, nós temos é que falar a verdade. O governo anterior meteu a cara no que não era dele e deixou essa porcaria que está aí hoje sem rumo, exigindo dos poderes públicos, ações muito violentas. Agora, ficar segurando correção de passagem porque o transporte está ruim, eu pergunto, nós trabalhamos mediante uma inflação, se tudo se corrige, por que não corrigir a passagem? Qual a autoridade o poder público tem para exigir dessas empresas se não cumpre com seu dever? E o dever menor é esse da própria sociedade de corrigir em mais 20 centavos, eu não sei o que estão pedindo, no preço das passagens. Nós temos que enfrentar com coragem, com espírito público, com seriedade, pegar nas mãos do povo e resolver esse problema que está aí. Vou conversar com o nosso governador que assumiu o Estado numa situação de aflição para que nós de mãos dadas entreguemos o povo um novo transporte em Goiânia”, declarou Iris.

Na próxima semana acontece reunião na CMTC (Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo), onde as empresas pedem aumento no preço da passagem de R$ 4,30 para R$ 4,50.