Prefeito informou que obras serão retomadas na próxima segunda-feira (13/1).

Iris explica que os serviços de construção da terceira etapa da rede de drenagem fazem parte das obras  do corredor do BRT na Avenida Goiás, entre a Avenida Anhanguera e a Rua 1. Estes trabalhos foram suspensos no final do ano passado a pedido dos lojistas.

O objetivo é concluir a obra, 420 m de extensão e com tubulação em Ribiloc (PVC) de 500 mm de diâmetro, em 60 dias úteis, dependendo da intensidade das chuvas durante esse período, e iniciar a execução na contramão da Avenida em abril, a partir da Avenida Independência.

Para a realização dos trabalhos, o trânsito sofrerá modificações, mas o cruzamento da Avenida Anhanguera continuará livre. Os serviços no local ocorrerão de uma única vez, quando a obra da outra pista estiver executada até a Anhanguera, dessa forma, evitará que o local seja bloqueado duas vezes.

Na última terça-feira (7/1), a Prefeitura iniciou a execução de outro trecho de 55,8 m da rede na Avenida Oeste, entre a Rua 74 e a Leroy Merlim. A expectativa é de que os serviços sejam concluídos no final deste mês.

Trânsito

O condutor que for trafegar pela Avenida Goiás (sentido norte/sul), entre a Avenida Paranaíba e a Praça Cívica, será orientado a fazer a conversão à direita na Rua 04, até a Avenida Tocantins, por onde terá acesso à Praça Cívica e toda região Central.

O motorista que for circular pela Rua 03 (sentido oeste/leste), entre as avenidas Tocantins e Araguaia, fará a conversão à esquerda na Rua 9, depois à direita na Avenida Anhanguera e entrará na Rua 7, onde fará a conversão à esquerda para retomar o acesso à Rua 3.

Já o motorista que estiver em passagem pela Rua 15, no Centro (sentido leste/oeste), para acessar a Rua 2 – entre a Marginal Botafogo e a Avenida Araguaia –  fará a conversão à esquerda na Rua 18, seguirá até a Rua 82 (anel externo da Praça Cívica), passando pelas avenidas Araguaia, Goiás e Tocantins, fazendo a conversão à direita na Rua 16, onde só será permitida a conversão à esquerda para seguir pela Rua 13 (continuação da Rua 2)

Ônibus

A partir de terça-feira (14/1) a linha 605 (Bairro da Vitória/Campinas/Centro deixará de passar pela Rua 3, entre a Avenida Tocantins e Avenida Araguaia. A medida atende obras do BRT-Norte/Sul. A linha 605 terá o trajeto desviado para a Avenida Tocantins, Rua 1 e Avenida Araguaia e a partir desse trecho segue o itinerário normal. A mudança valerá por até 90 dias por causa do período chuvoso.

Com a mudança a CMTC desativou dois Pontos de Embarque e Desembarque- PEDs- no trecho da Rua 3 e avenidas Tocantins e Araguaia, e ativou outros dois já existentes na Avenida Tocantins e na Avenida Araguaia para atenderem a 605 também.

Rede de drenagem

A rede de drenagem é parte integrante do sistema do BRT Norte-Sul e tem 2,6 km de extensão, entre a Praça Cívica e o Setor Norte Ferroviário, onde fará o lançamento no Córrego Capim Puba. Os trabalhos de construção tiveram início em maio do ano passado, na Rua 4, no Setor Norte Ferroviário, passando pela Avenida Oeste, no Setor Marechal Rondon, Avenida Goiás, onde cruza a Avenida Independência para chegar até à Praça Cívica.

O orçamento para a execução das obras nesse trecho da Goiás até a Praça Cívica é de R$ 40,575 milhões, sendo: Drenagem: R$ 7,775 milhões; Pavimento Rígido: R$ 17,194 milhões; Pavimento Flexível: R$ 3,468 milhões; Obras complementares: R$ 10,178 milhões; e Estações: R$ 1,960 milhões.

Corredor do BRT

Durante as obras da rede de águas pluviais, a Avenida Goiás vem sendo requalificada e preparada para a operação do BRT, com a construção das estações de embarque e desembarque de passageiros, implantação de pavimentos rígidos e flexíveis e a completa revitalização da sinalização de trânsito – horizontal, vertical e semafórica, com semáforos inteligentes.

As calçadas estão sendo readequadas, conforme as normas de acessibilidade e arborizadas, com a troca das espécies que estiverem condenadas. A iluminação em conjunto LED será adotada em toda a via.

Com a rede de drenagem, a prefeitura soluciona o problema de alagamentos e enchentes em grande parte da região Central de Goiânia. O prazo para conclusão da obra é agosto de 2020.

Nara Serra, da editoria de Infraestrutura, Bianca Benetti, da CMTC e Veruska Narikaw