Prefeito Iris Rezende assinou nesta segunda-feira (13/7) novo decreto com normas e protocolos para a  reabertura e funcionamento  do comércio a partir desta terça-feira (14/7), quando se encerra o período de fechamento das atividades proposto em decreto estadual.

A solenidade realizada no Paço Municipal contou com a presença do governador Ronaldo Caiado, vereadores e secretários. Empresários puderam acompanhar a solenidade em salão anexo, por telão.

O decreto foi proposto pelo prefeito Iris ao governador Caiado e as equipes de ambos os governos acertaram os detalhes em mais uma etapa de parceria que vem sendo estabelecida pela prefeitura da capital e o governo estadual no combate à pandemia do novo coronavírus.

Entre as novidades está a reabertura de novas atividades econômicas, como bares e restaurantes. Todos terão que seguir normas rígidas de funcionamento, com os protocolos gerais já estabelecidos e alguns específicos.

Com humildade, o prefeito Iris Rezende reconheceu a autoridade do governador Ronaldo Caiado, que, segundo ele, foi o primeiro a declarar a gravidade do coronavírus. “Foi inspirado”, disse o prefeito sobre o governador.

De acordo com Iris, o momento é complexo, o decreto municipal é muito detalhado e rigoroso e ele não terá dificuldade em promover alterações, seja por falhas que porventura surgirem ou por mudanças nas condições vigentes.

“Nosso intuito principal é preservar a vida e a saúde da população,” disse o prefeito. “Não é simplesmente abrir o comércio, é abrir o comércio, garantir o emprego das famílias, sem aumentar os males à saúde de todos”.

 

O governador lembrou que o sucesso dos decretos até agora é reflexo da parceria do Governo e Prefeitura. “Se não tivéssemos o apoio de vossa excelência, não teríamos colhido os resultados positivos de agora, prefeito”, falou.

 

Regras de funcionamento

1 – Atenção ao controle da entrada de clientes por loja/estabelecimento,

2 – manter no máximo um cliente para cada 12 m² de área de venda, controle da entrada e saída de pessoas no interior, por meio de barreira física, senha ou outro método eficaz.

3 – Vedação do acesso de pessoas que não estejam utilizando máscaras de proteção facial cobrindo nariz e boca.

4 – Sinalização dos sentidos de circulação e marcações no chão de 2,0 em 2,0 metros entre pessoas nas áreas comuns.

5 – Quando possível, implantar corredores de uma via só, para coordenar o fluxo nos estabelecimentos.

6 – Abertura e o fechamento para atendimento presencial em horários reduzidos, conforme estabelecido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia, redução das áreas de estacionamento com sinalização para vagas intercaladas.

7 – Uso obrigatório de máscara.

Deverão ser obedecidos os protocolos gerais e específicos estabelecidos pela legislação estadual e municipal, sob pena de aplicação de sanções cabíveis, em especial a aplicação de multa no valor de R$ 4,7 mil para quem descumprir os protocolos exigidos. O uso da máscara continua sendo obrigatório para quem sair de casa.

Continuam proibidos na capital:

1 – Grandes eventos públicos e privados de quaisquer natureza,

2 – atividades de clubes recreativos e parques aquáticos,

3 – aulas presenciais de instituições de ensino público e privadas,

4 – cinemas, teatros, casas de espetáculo, boates, salões de festa e jogos.

 

Feiras e shoppings abrem abrem

As feiras especiais, incluindo a Feira Hippie, Feira da Lua, além do Mercado Popular da Rua 4, no centro, e o Mercado Aberto, da Avenida Paranaíba, poderão voltar a funcionar no dia 21 de julho.

Os protocolos específicos da Saúde e o escalonamento de horário da Sedetec serão publicados ainda nesta segunda-feira (13/7). As galerias da Rua 45 podem receber clintes das 9h às 17h.  Os shoppings  abrem das 12h às 20h.

 

Missas e cultos

Os cultos, missas, celebrações e reuniões coletivas das organizações religiosas ficam autorizados a ocorrer em qualquer dia da semana, desde que obedecidos os protocolos do Decreto estadual e os protocolos a serem estabelecidos pela Secretaria Municipal de Saúde, com a redução a 30% (trinta por cento) de sua capacidade de pessoas sentadas.

 

Veja aqui o decreto municipal

 

Atendimento à saúde

Preocupado com as condições econômicas da população na pandemia, o prefeito tomou decisão embasado na adoção de protocolos rígidos de precaução para evitar a disseminação do vírus e em uma série de ações de saúde, como a ampliação da rede de saúde e assistência ao cidadão.

Entre as medidas adotadas, foram contratados mais 475 novos profissionais de saúde para reforçar a rede e o número de leitos em Goiânia aumentou quase 350% em 50 dias.

Em 20 de maio, Goiânia tinha 40 leitos de UTI e 37 de enfermaria. Hoje a capital disponibiliza um total de 356 leitos, sendo 156 leitos de UTI e  200 de enfermaria.

Além da unidade própria, que é o Hospital e Maternidade Municipal Célia Câmara, do Hospital das Clínicas e da  Santa Casa de Misericórdia, a Prefeitura mantém contrato com cinco hospitais particulares: Gastro Salustiano, Hospital Jacob Facuri, Hospital Ruy Azevedo, Hospital São Lucas e Renaissance.

A secretária de Saúde de Goiânia, Fátima Mrué, explicou que neste momento o isolamento social está saturado e é preciso buscar alternativas.

“Trabalhamos para sustentar essas aberturas de forma segura, tranquila, com proteção da vida e da economia ao mesmo tempo”, disse Mrué.

O presidente da Câmara, Romario Policarpo, declarou que se precisar de fechar novamente o município contará com o apoio do legislativo.