Falando de improviso, o governador Ronaldo Caiado revelou os desafios que esperam sua gestão, anunciou medidas de impacto, anunciou parceria com o governo federal e exortou o apoio de todos os goianos e goianas para tirar Goiás da crise.

Governador promete austeridade, diz que irá reduzir gastos, destaca que terá compromisso zero com a corrupção e informa que irá implantar transparência total nos gastos públicos com implantação de compliance em todas as secretarias, autarquias e empresas públicas do Estado. Seu segundo,  compromisso será com a valorização do servidor público. “Não se governa sem ter equipe, não se governa sem ter o apoio dos servidores”. Caiado também falou de seu compromisso com a Educação, garante que irá valorizar os professores, defendeu a implantação de 50% de escolas em tempo integral em Goiás, e também uma parceria com a UFG (Universidade Federal de Goiás).
Finalizando Caiado falou: “Não sou governador apenas daqueles que me elegeram. Eu sou governador de todos os goianos, de todos que habitam o Estado de Goiás. Podem saber que eu saberei tratá-los com respeito, porque nada mais digno do que dar dignidade ao cidadão e condições para que ele se sinta cidadão em cada lugar que ele mora. Este é o nosso compromisso  de cidadania, de resgate, de apoio, de mostrar que o Estado de Goiás está acima de picuinhas e não vai humilhar as pessoas que não comungam com o nosso credo político”, disse. Confira abaixo a íntegra do seu discurso na Assembleia Legislativa:

“Não sou governador apenas daqueles que me elegeram. Eu sou governador de todos os goianos, de todos que habitam o Estado de Goiás. Podem saber que eu saberei tratá-los com respeito, porque nada mais digno do que dar dignidade ao cidadão e condições para que ele se sinta cidadão em cada lugar que ele mora. Este é o nosso compromisso  de cidadania, de resgate, de apoio, de mostrar que o Estado de Goiás está acima de picuinhas e não vai humilhar as pessoas que não comungam com o nosso credo político”

Íntegra do discurso do governador Ronaldo Caiado (DEM)
“Meus srs., minhas sras.  saúdo neste momento todo o povo goiano. Saúdo aos jovens, às crianças, aos idosos e todos aqueles que estão empenhados na luta para dignificar o Estado de Goiás.
Quero cumprimentar aqui o jovem parlamentar, que hoje ocupa a presidência desta Casa, que é o deputado José Vitti (PSDB). O meu relacionamento com ele vem na prática da medicina, a quem por várias vezes atendi e operei.
Quero dizer que nesta hora eu saúdo Linconl Tejota (Pros), um jovem parlamentar que aos 34 anos chega à vice-governadoria do Estado de Goiás,  pela coragem, de num momento histórico da política, ter participado desta grande mudança que todo o povo goiano clamava.
Quero agradecer ao presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, desembargador Gilberto Marques Filho; pessoa de liderança respeitada e reconhecida não só no cenário goiano, mas em todo o cenário nacional na área da Justiça.
Cumprimento aquela goiana que infelizmente, pela proximidade da posse do presidente Jair Bolsonaro (PSL) teve que se ausentar, mas que é goiana de morrinhos, que engrandece o Estado de Goiás, Dra. Raquel Dodge, Procuradora Geral da República.
Quero cumprimentar o ex-governador e atual deputado federal Alcides Rodrigues (PRP). Um abraço especial aos meus companheiros de chapa, cumprimentar Wilder Morais (DEM), esta pessoa que cada vez eu admiro mais, pelo seu carinho, determinação e espírito público em todo o decorrer de nossa campanha e que estará ao meu lado governando o Estado.
Quero saudar Vanderlan Cardoso: empresário, político, ex-prefeito e atualmente senador da República representando o nosso Estado de Goiás.
Quero saudar aquele que como meu primeiro-suplente foi eleito senador da República por 59,73% dos votos do Estado de Goiás, meu companheiro que tanto me ajuda Luiz Carlos do Carmo. Muito obrigado a você, pela vivência e pelo apoio, a agora pelos próximos quatro anos senador de Goiás.
Chico Rodrigues, meu amigo de parlamento, a época na Câmara dos Deputados, e que volta hoje senador da Republica pelo Estado de Roraima.
Quero saudar aquele irmão mais novo no Senado Federal que sempre esteve ao meu lado em todos os embates, Davi Colombo, próximo presidente do Congresso Nacional, se Deus quiser.
Saúdo Eumano Ferrer, senador que é uma expressão política e que representa aqui o Nordeste Brasileiro.
Ao me dirigir ao deputado Roberto Balestra, meu colega de vários mandatos como deputado federal. Em todos os cinco mandatos estivemos juntos. Cada um no seu estilo. Eu mais na tribuna e o Roberto Balestra mais na articulação. É um político respeitado e querido por todos. Ao cumprimentá-lo eu cumprimento aqui todos os deputados federais, todos os deputados presentes neste momento; mas eu quero também registrar a presença de Abelardo Lupion, que me acompanha e entrou na vida política por determinação minha. Ele sempre orgulhou o Paraná e a classe rural brasileira e que aqui nesta data representa o nosso amigo, ministro da Casa Civil da presidência da República, Onyx Lorenzoni.
Eu quero cumprimentar também a todos aqueles que aqui tiveram, que aqui vieram nesta data tão especial depois de uma noite de festa para poder comemorar o final do ano de 2018 e o início de 2019.
Quero saudar neste momento aquele que todos nós temos uma deferência especial por ele, que é o arcebismo metropolitano de Goiânia, Dom Washington Cruz, a quem na data de  ontem, na missa final do último dia do ano, fez uma homilia, que posso dizer a todos: uma verdadeira peça literária a qual pedi a cópia para que pudesse me debruçar sobre ela, com todas as diretrizes que ele pautou no que deve ser a postura de um governante em seu Estado. Muito obrigado Dom Washington pelas palavras que Vossa Excelência me concede.
Eu quero saudar aqui os atuais deputados estaduais na figura do deputado Álvaro Guimarães, e saudar os próximos deputados estaduais, na figura de Henrique Cesar, jovem e mais votado deputado estadual da última eleição. Saudar também aquele que tem 60 anos na vida política, ex-governador, ex-ministro, ex-senador,  ex-prefeito, ex-vereador, e hoje aqui Iris Rezende, com quem nós fizemos parte nas eleições em 2014, para que eu pudesse chegar ao senado federal. Muito obrigado. Vamos governar juntos governador.
Saudar o professor Edward Madureira, reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), com quem muito vou trabalhar numa parceria e numa sintonia direta com a universidade,  que é uma referência hoje como universidade federal.
Saudar também o representante do comando de Operações Especiais, Júlio Cesar Toledo Sousa de Almeida. Ao procurador-geral de Justiça do Estado, e presidente do conselho nacional de procuradores do Ministério Público brasileiro, Benedito Torres Neto.
Saudar o presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, desembargador Platon Teixeira de Azevedo Filho. Presidente dos tribunais de contas, conselheiro Celmar Rech e dos municípios conselheiro Joaquim de Castro.
Saudar o coronel aviador Antônio Marques Godoi Soares Rodrigues, ao desembargador, meu amigo, que sempre marchou comigo em toda a minha trajetória política e também em meus movimentos ruralistas; saúdo aqui Marco Antônio da Silva Lemos, desembargador do Distrito Federal, ex-desembargador do Estado do Amapá. Procurador do Ministério Público de Contas, Fernando Carneiro.

“Não é correto dizer que vão entregar a mim um Estado com R$ 700 milhões em caixa. Se tivesse R$ 700 milhões em caixa por que não pagaram parte dos salários? Eu desafio mostrar estes R$ 700 milhões. Qualquer parlamentar aqui sabe – lógico que o cidadão comum não é obrigado a saber: dinheiro vindo de contrato, dinheiro de fonte vinculada, ela não pode ser repassada para o custeio do Estado. Isto é primário, isto é elementar. O que tem na conta única do Estado para nós ao receber o governo hoje? R$ 11 milhões, e uma dívida de R$ 3,4 bilhões. Esta é a realidade”

Aos senhores vereadores, lideranças, prefeitos, à imprensa do nosso Estado de Goiás: que  a minha primeira manifestação neste ato solene de posse, seja para elevar o pensamento a Deus e humildemente agradecer.

Vocês sabem que recebo com imensa honra e alegria, e uma profunda  responsabilidade o cargo de governador do Estado de Goiás. Vocês sabem que não há sonho maior por um político do que governar a sua terra. Jamais escondi isto, e os meus amigos baianos que estão aqui presentes sabem disso. Dizer que o povo de Goiás me concedeu em primeiro turno, o mandato de governador.
Vocês sabem que esta demonstração de confiança eu não irei decepcioná-los.
Considero, srs. deputados, os convidados, amigos deputados, o momento mais desafiador da minha carreira política que inicei em 1989, começando já como candidato à presidente da República, o mais jovem àquela época. E hoje eu quero dizer a vocês que eu sempre honrei o voto dos goianos. Eu nunca os decepcionei, eu nunca desonrei o mandato que vocês me deram, cinco vezes deputado federal, e agora senador da República, e neste momento, no meio do meu mandato, assumindo o governo do Estado de Goiás.
Dizer a vocês que não foi uma campanha fácil. E vocês sabem a supremacia que existia durante tantos anos na política de Goiás. Mas o que nós notamos foi exatamente que o povo goiano resolveu reagir. O povo goiano espontaneamente saiu numa campanha pelo Estado todo dizendo uma palavra só de Norte a Sul, de Leste a Oeste: mudança, mudança, mudança, mudança. Era o que você ouvia e o que era verbalizado pelas pessoas mais simples do nosso Estado.
Vocês sabem que o que nós estamos vendo nesta hora é o sentimento que, diante de toda narrativa aqui do deputado José Nelto,  da situação crítica que vive o Estado, eu sou homem otimista. Eu sou homem que conheço o meu Estado de Goiás, o meu povo e a nossa gente e sei a capacidade de reagir e a capacidade de recuperar e dar a volta por cima com um governo transparente, honesto e com tolerância zero à corrupção no nosso Estado de Goiás.
Quero deixar claro que muitos que se intitulavam donos do poder, eles realmente vieram agora após a eleição entender um novo estágio desenhado no Estado de Goiás e no pais. Sabem qual foi? A abertura das urnas.
A abertura das urnas jogou por terra todas aqueles articulações, marquetagem, máquina pública”
Podem ter certeza: vamos trazer e resgatar a esperança e a prosperidade e também a confiança do povo na classe política do Estado de Goiás.
Nós seremos referência no país, porque pessoas estão enganadas quando pensam que política é sinônimo de balcão de negócios e negociatas. Terão políticos com honradez, com dignidade, com espírito público para dizer com toda clareza que o beneficiário principal é o cidadão goiano humilde, em todos os rincões do estado que não tem lobbie, não tem corporações para lutar por eles. Àqueles que estão nos confins do Nordeste Goiano, que tem que caminhar 750 quilômetros para ter o acesso a um leito de UTI.  Àqueles que caminham 500 kms, dia sim, dia não, para fazer uma hemodiálise. Aquelas pessoas que hoje não entendem como poder reagir às facções criminosas que  tomam conta do Estado. Mas vão saber que onde tiver Goiás vai ter o pulso forte do Estado para dizer que aqui em Goiás não teremos tolerância com a criminalidade e não vamos admitir que o cidadão de bem possa ficar acuado diante de tanta ousadia da bandidagem em nosso Estado.
Quero deixar claro que muitos que se intitulavam donos do poder, eles realmente vieram agora após a eleição entender um novo estágio desenhado no Estado de Goiás e no pais. Sabem qual foi? A abertura das urnas.
A abertura das urnas jogou por terra todas aqueles articulações, marquetagem, máquina pública. Contra tudo isto, no governo federal e nos governos estaduais, junto com a maioria das prefeituras e o povo se insurgiu contra tudo isto em Goiás e nacionalmente. E agora deram a oportunidade de ter 1.773.090 votos, ganhando por ampla margem de votos no primeiro turno. Uma vitória que não é apenas do governo e do governador Ronaldo Caiado, mas é uma vitória expressiva, limpa que derrotou toda a máquina de governos estaduais e federais. Quero dizer que nesta hora em que ocupamos com nossas propostas, e o povo disse com toda clareza: estaremos engajados na mesma linha da qual foi definida por nós em cada quadrante que andamos por nosso Estado.
Nesta hora queremos reafirmar  que sou devedor de todos os goianos, e que nossas lutas serão comuns, e aqui reforçar o compromisso de governar para o cidadão e de devolver ao povo goiano o Estado de Goiás. Este é um compromisso que fiz durante a minha campanha.
“A partir de amanhã, prefeito Iris Rezende, vou assinar dezenas de projetos para cortar na carne, no osso, para dizer que a máquina pública não pode ser motivo de mordomias de negociatas, de benefícios, de vantagens fora do limite, deixando uma mácula que corroí cada vez mais o patrimônio público”
Não é resultado de um ato isolado. Hoje o que me levou no meu Estado à eleição de senadores, deputados federais e deputados estaduais foi o mover de mentes e de corações. É o mover de multidões, é o mover daqueles que acreditam na mudança e na prática política de um novo momento para a política de Goiás.
Vocês sabem que não sou eu que tomo posse neste momento, mas todos que foram determinantes para as lutas que nos trouxeram até aqui como representantes desta população querida do Estado de Goiás. Agradeço mais uma vez, jovens, adultos, crianças, todos que optaram por ousar e por enfrentar a máquina pública. Portanto, venho, mais uma vez agradecer aos que confiam neste projeto e dizer com toda clareza quais são as bases do novo projeto, quais são as estruturas que nós temos compromisso hoje com o povo goiano.
Primeiro compromisso: tolerância zero com a corrupção.
Segundo, valorização do servidor público. Não se governa sem ter equipe, não se governa sem ter o apoio dos servidores.
Ao mesmo tempo, combater as desigualdades regionais. Como médico e cristão que sou não posso admitir que tenhamos aqui regiões tão distintas e pessoas com tantas dificuldades no seu dia a dia.
Quero dizer que esta velha política foi sepultada porque o eleitor voltou muito mais na tradição, na história, naquilo que realmente é a vida e daqueles que se apresentaram para suas eleições, do que nas máquinas partidárias e no tempo de rádio e de televisão.
Nós precisamos valorizar os professores, é fundamental para todos nós. São eles os formadores, são eles que embasam as nossas crianças para que possam ser amanhã competitivas, para que elas possam amanhar disputar com todos aqueles, em qualquer quadrante deste nosso Brasil e no mundo globalizado para dizer:  nós somos do interior do Estado de Goiás, mas nós temos competência para disputar com quem quer que seja”
Minha gente, nós temos um compromisso sim com a Educação. São quantos municípios hoje precisando de uma escola em tempo integral? Este é o nosso compromisso. O nosso plano de governo. Nós temos que chegar a 50% de escolas em tempo integral. É a maneira de tirarmos os nossos jovens do meio da bandidagem e do narcotráfico.
Nós precisamos valorizar os professores, é fundamental para todos nós. São eles os formadores, são eles que embasam as nossas crianças para que possam ser amanhã competitivas, para que elas possam amanhar disputar com todos aqueles, em qualquer quadrante deste nosso Brasil e no mundo globalizado para dizer:  nós somos do interior do Estado de Goiás, mas nós temos competência para disputar com quem quer que seja, podendo pelo sonho de toda mãe que é de ver o seu filho médico, engenheiro, advogado ou senão num curso técnico qualificado, melhorando a sua qualidade de renda e  a sua condição de vida.
Minha gente, nós que entender que este é o Estado de Goiás que nós amamos e nós vamos trabalhar para instalá-lo.
No nosso governo está extinta a categoria D, a terceira categoria como queiram, hoje todos serão soldados da polícia militar, da polícia civil e do corpo de bombeiros com um salário único! É dignidade, é condição de dar a eles a certeza de que a polícia militar é polícia do Estado, é polícia do cidadão, não é polícia que tem dono. É polícia que tem que dar segurança a todo o povo goiano. Esta é a nossa meta na segurança pública.”
É lógico que um governo pode muito mas não pode tudo. O governo precisa estar abraçado com a população, tem que estar todo dia ouvindo a classe política, ouvindo o cidadão e buscando as mudanças necessárias. Não podemos fazer com quem o dinheiro público, que não existe, que não existe dinheiro público, o dinheiro, sr. Presidente, é do cidadão que trabalha e paga altas taxas de impostos no país e no Estado de Goiás e não tem o retorno. O dinheiro é todo consumido na atividade meio em milhares e milhares de pessoas que ocupam cargos na máquina pública, não para exercer a sua função, mas muito mais para estruturar projeto de poder pessoal e máquina de poder também para ganhar as eleições.
O povo goiano e o povo brasileiro deu a resposta: quer agora eficiência, quer agora gestão transparente, quer agora ver o Estado chegando na vida do cidadão comum.
E será este o desafio que nós vamos  ter na área da Segurança Pública. Mas como, senador Caiado e agora governador Ronaldo Caiado? O sr. viu a realidade fiscal do Estado e de repente manda a sua equipe elaborar um projeto de lei para poder reajustar os salários dos policiais militares da terceira categoria, policiais civis e corpo de bombeiros. Sabe por que? Porque não estou fazendo nada mais como governador do Estado do que dar dignidade ao cidadão que coloca sua vida em risco para defender o povo do nosso Estado de Goiás.
No nosso governo está extinta a categoria D, a terceira categoria como queiram, hoje todos serão soldados da polícia militar, da polícia civil e do corpo de bombeiros com um salário único! É dignidade, é condição de dar a eles a certeza de que a polícia militar é polícia do Estado, é polícia do cidadão, não é polícia que tem dono. É polícia que tem que dar segurança a todo o povo goiano. Esta é a nossa meta na segurança pública.
Mas temos humildade de recorrer, como já recorri ao presidente Jair Bolsonaro, ao ministro general Heleno, também a Sérgio Moro e dizer a eles da dificuldade que temos hoje, onde as facções comandam muitas vezes as penitenciárias do nosso Estado de Goiás e que esta situação nós precisamos também de ter o apoio do governo federal. Tive , e infelizmente ela não está presente, o apoio da Procuradora-Geral da República, quando lá levei a minha preocupação, imediatamente, ela mandou que aqui viesse fiscalização para poder avaliar a situação crítica e caótica por que passa a área de presídios no nosso Estado de Goiás.
Quero dizer que nós temos um compromisso que tem muito haver com a minha vida: 44 anos como médico no exercício da profissão; 44 anos que tenho orgulho enorme deles. Sabem por que? Porque graças a Deus eu nunca distingui um paciente. Eu nunca diferenciei pacientes, nunca perguntei qual era o seu credo político, nunca perguntei suas condições financeiras, mandava colocá-los no centro cirúrgico e os operava.
E é assim que eu quero dizer, a todos aqueles que sabem que hoje eu não sou governador apenas daqueles que me elegeram. Eu sou governador de todos os goianos, de todos que habitam o Estado de Goiás. Podem saber que eu saberei tratá-los com respeito, porque nada mais digno do que dar dignidade ao cidadão e condições para que ele se sinta cidadão em cada lugar que ele mora. Este é o nosso compromisso  de cidadania, de resgate, de apoio, de mostrar que o Estado de Goiás está acima de picuinhas e não vai humilhar as pessoas que não comungam com o nosso credo político.
O Estado de Goiás vai poder ao Brasil o conjunto de uma política solidária, de uma política social capaz de atender os verdadeiros necessitados e de dar a eles a condição de progredir na sua vida.
Hoje as pessoas precisam sair do pedestal. As pessoas precisam entender que governador do Estado é funcionário público que tem que dar satisfação à população! Governador do Estado tem que estar à frente dos problemas e saber diagnosticar”.
Mas o que é de importante neste momento? O que levou o Brasil e Goiás a caminharem neste tempo? Qual é a mensagem das urnas? E tem ainda pessoas e políticos que não enxergaram a realidade. Hoje as pessoas precisam sair do pedestal. As pessoas precisam entender que governador do Estado é funcionário público que tem que dar satisfação à população! Governador do Estado tem que estar à frente dos problemas e saber diagnosticar. E nós sabemos como político, que o que é ser político e o que é a politica? É exatamente identificar as prioridades que deverão ser alí tomadas. E ao dizer isto quero me dirigir ao presidente da Assembléia, a todos os deputados estaduais  da atual legislatura e dizer a vocês muito obrigado. Muito obrigado a vocês deputados estaduais. Sou eterno devedor daquilo tudo que vocês ainda neste curto período, do dia 7 de outubro quando ganhei as eleições até agora, fizeram dar governabilidade ao Estado de Goiás.
Vocês souberam entender qual é o percentual das emendas impositivas, e eu como deputado federal lutei para que isto fosse implantado, e como governador do Estado respeitá-las e serão cumpridas, cada uma, que cada parlamentar alí definir para a sua área.
Vocês não sofrerão o que eu sofri, anos de luta minha gente, dignificando Goiás e muitas vezes diziam: olha o que o Caiado fez. Sabem por que? Porque eu vou colocar na nossa placa aquele nome do parlamentar para que amanhã vocês não sofram o preconceito que eu passei nesta campanha eleitoral. Para deixar marcado que a classe política é fundamental para uma boa gestão, para que possamos responder às demandas da sociedade.
Estes deputados estaduais, presidido por José Vitti, tomaram uma atitude de poder dizer que cada um de nós tem que dar a sua cota, a sua parcela para tirar o Estado dessa situação crítica em que se encontra. Votar um projeto para diminuir temporariamente os incentivos fiscais, quando o Estado vive a maior crise fiscal de toda a sua história? Esta Casa teve a coragem de assumir este debate, dando a oportunidade para que já em 2019 possamos ter uma fonte orçamentária que oscila entre R$ 800 milhões a R$ 1 bilhão.
Mas eles sabem que este dinheiro será investido dando retorno também a estes setores. Nós temos hoje a certeza absoluta que a parcela não ficará apenas com os empresários.
Desde que ganhei tem sido uma rotina minha ir a Brasília quase todos os dias, por que o diagnóstico que me mostraram era um só: Caiado, o buraco orçamentário que você irá receber é de R$ 3,2 bilhões. Goiás está rebaixado no Tesouro nacional, no ranking do endividamento no seu pior nível. Não tem aval da União, nem no Ministério da Fazenda, nem no Tesouro Nacional.”
A partir de amanhã, prefeito Iris Rezende, vou assinar dezenas de projetos para cortar na carne, no osso, para dizer que a máquina pública não pode ser motivo de mordomias, de negociatas, de benefícios, de vantagens fora do limite, deixando uma mácula que corroí  cada vez mais o patrimônio público.
Vou mostrar austeridade sim. Vou mostrar condições de poder dizer,  em alto e bom som, que nós viemos para atender o clamor do povo goiano. Viemos para mudar, e podem ter certeza disso.
Desde que ganhei, deputados, desde que ganhei tem sido uma rotina minha ir a Brasília quase todos os dias, por que o diagnóstico que me mostraram era um só: Caiado, o buraco orçamentário que você irá receber é de R$ 3,2 bilhões. Goiás está rebaixado no Tesouro nacional, no ranking do endividamento no seu pior nível. Não tem aval da União, nem no Ministério da Fazenda, nem no Tesouro Nacional.
Sentei por mais de duas horas e meia, junto com o ministro Paulo Guedes e toda a sua equipe econômica, com a secretária do Tesouro Nacional. Disse a ele, ministro, o sr. me conhece, sabe da nossa postura, nós não queremos apenas transferir problemas para a União não. Nós goianos temos orgulho de nossa terra e nós saberemos recuperar o nosso Estado, mas o que eu lhe peço neste momento é volte atenção para Goiás no momento em que fico com uma dívida de dois meses de salários dos servidores públicos, uma dívida de mais de R$ 140 milhões de empréstimos em que a União é avalista e que não teve como pagar, podendo bloquear o repasse do fundo de participação dos Estados.
E no Estado de Goiás,  o colapso é geral, onde os hospitais estão fechados, onde as faculdades não recebem a Bolsa Universitária há dez meses, onde sequer os fornecedores de refeições não receberam nos últimos cinco meses. Os prefeitos ontem reunidos comigo diziam: Caiado, nós não recebemos o repasse da saúde há dez meses, nós não recebemos o repasse do transporte escolar a doze meses. É o colapso completo da máquina pública.
Desafio qualquer prefeito aqui presente a dizer que o Estado está em dias, que o Estado está cumprindo obrigações constitucionais.
Desafio qualquer um aqui, e eu lhes pergunto: é correto usar dinheiro dos municípios para compromissos do Estado, quando não fez a tarefa de casa e utilizou o dinheiro de vocês para pagar folha de pagamento que não conseguiu em novembro e dezembro?
Onde está  – e aí plagiando a voz rouca dos prefeitos – um silêncio generalizado, um colapso completo, uma situação que repete todo ano: o colapso também das rodovias do Estado. Não se transita mais no Estado. Vamos chegar no momento de nossa safra e Goiás que é referência na agricultura de produtividade, de qualidade, e de repente todo trabalho do homem do campo é distribuído por não ter transporte e por não ter atendimento de qualidade. E agora? São mil quilômetros pela frente que vamos receber que estão intransitáveis ou com dificuldade de transitar.
E no Estado de Goiás,  o colapso é geral, onde os hospitais estão fechados, onde as faculdades não recebem a Bolsa Universitária há dez meses, onde sequer os fornecedores de refeições não receberam nos últimos cinco meses. Os prefeitos ontem reunidos comigo diziam: Caiado, nós não recebemos o repasse da saúde há dez meses, nós não recebemos o repasse do transporte escolar a doze meses. É o colapso completo da máquina pública.
Desafio qualquer prefeito aqui presente a dizer que o Estado está em dias, que o Estado está cumprindo obrigações constitucionais.”
E tudo isto eu relatava ao ministro Paulo Guedes. E ele disse: Caiado, eu entendo a sua realidade, mas a secretária do Tesouro Nacional tem mais uma novidade para lhe passar.E eu levantei, me encorajei, e disse, bom, vamos ouvir então uma boa notícia: Senador Caiado, Goiás já estava mal e piorou, foi rebaixado para a última letra de classificação como Estado devedor da União. Letra D é sinal de fundo de poço.
Mas vocês acham que isto me intimida? Não, porque eu tenho compromisso com meu povo. Eu sei que terei o apoio do meu povo. Eu sou homem forjado na luta. Eu sou homem que a vida toda – e como homem temente a Deus que sou – e que peço a Ele todos os dias, que guie meus passos e me oriente, nós vamos recuperar o Estado de Goiás e nós vamos ter orgulho no Estado de Goiás. Vocês podem ter a certeza.
O ministro Paulo Guedes disse ainda: Caiado, você com este brilho nos olhos, com esta vontade toda, tenho certeza de que você recuperará o Estado.
Mas  não é correto, minha gente, não é correto dizer que vão entregar a mim um Estado com R$ 700 milhões em caixa. Se tivesse R$ 700 milhões em caixa por que não pagaram parte dos salários? Eu desafio mostrar estes R$ 700 milhões. Qualquer parlamentar aqui sabe – lógico que o cidadão comum não é obrigado a saber: dinheiro vindo de contrato, dinheiro de fonte vinculada, ela não pode ser repassada para o custeio do Estado. Isto é primário, isto é elementar. O que tem na conta única do Estado para nós ao receber o governo hoje? R$ 11 milhões, e uma dívida de R$ 3,4 bilhões. Esta é a realidade.
Peço a Deus sabedoria, mas tenho certeza que eu terei o apoio da Assembleia Legislativa, que eu terei o apoio do povo goiano para enfrentar a luta no dia a dia. Não sou homem de gabinete não. Sou homem criado na dificuldade e sei enfrentá-las. Sou homem preparado para a adversidade, sou homem que sei priorizar aqueles momentos difíceis e qual deverá ser alí a sua pauta principal.
Minha gente, eu quero transmitir aos goianos é esperança, é certeza de que nós superaremos a crise, nada disso vai nos abater, mas pela primeira vez em Goiás nós teremos um governo transparente. Transparência total, com complance em cada secretaria ou autarquia ou empresa de governo. É a presença que nós solicitaremos da Procuradoria Geral do Estado, da Corregedoria Geral do Estado para que possamos ter alí tranquilidade e não dizer que já aconteceu a corrupção. Nós vamos iniciar o combate dela na origem, caso venha acontecer.  E não passarei a mão na cabeça de quem quer que seja que tenha falhado com este compromisso. Nesta hora, muito mais do que compromisso, é hoje uma vinculação deste governo à transparência na utilização do dinheiro público.
Minha gente, eu quero transmitir aos goianos é esperança, é certeza de que nós superaremos a crise, nada disso vai nos abater, mas pela primeira vez em Goiás nós teremos um governo transparente. Transparência total, com complance em cada secretaria ou autarquia ou empresa de governo”.
Para encerrar eu quero agradecer ao Ministério Público como poder constituído, dizer que mais do que ninguém sei da importância para que tenhamos cada vez mais a aplicação correta do dinheiro.
Quero dizer ao Tribunal de Contas dos Municípios da importância dele de fazer uma análise técnica, sem ser emitido hora alguma o viés político de avaliação.
Quero dizer ao meu presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Gilberto Marques: vou precisar muito de Vossa Excelência e da sua liderança no tribunal. Dissidiremos em conjunto: poderes independentes, mas 100% harmônicos e respeitosos. Assim será minha posição.
Quero dizer ao deputado José Vitti, mais uma vez o meu muito obrigado. Minha vida é o Parlamento e a minha história é a tribuna. Sou apaixonado nisto aqui (bate com a mão na tribuna). Às vezes o mandato de governador me tira a oportunidade de poder falar mais vezes ao povo, mas eu tenho a certeza de que o Legislativo nos molda para podermos governar. O Legislativo ensina que ninguém é dono da verdade, aqui na Casa cada parlamentar é 1/41 avos e tem que ter a humildade para construir maioria.
Quero dizer ao Tribunal de Contas do Estado de Goiás que recebi também e peço apoio de Vossa Excelência, sr. presidente Celmar Rech, porque será enviada a Goiás no dia 14 de janeiro uma comissão composta pelo Ministério da Fazenda, Tesouro Nacional, Ministério da Previdência para poder levantar a realidade fiscal do Estado de Goiás, para que ainda nos próximos dias o ministro possa propor uma alternativa para esta situação que estamos vivendo. Mas independente disso, sr. presidente, tenho a certeza de que contarei com o seu apoio, eu prometi a ele,  que nós amanhã,  vamos fazer com que nossa metodologia seja idêntica com o Tesouro Nacional para dar a nós, cada vez mais, condições de lutar pelos nossos direitos junto àquela pasta.
Eu quero dizer aqui, já no encerramento da minha fala: me desculpe presidente por alongar demais. Mas, terminando um mandato no Senado, assumindo um mandato de governador de Estado vocês podem imaginar a minha alegria, podem imaginar quanto tempo eu lutei para isto. Podem imaginar quantas noites, quantos dias, quantas maratonas, quantas campanhas, vitórias, derrotas. Conheço os dois lados da moeda.
Mas aqui antes de terminar, eu quero render homenagem muito especial a quem indiscutivelmente, é o porto seguro de todos nós.
Adib Elias, muito obrigado. Obrigado pelo apoio tão delicado na nossa campanha, ele que foi também coordenador da minha campanha ao governo. Muito obrigado Renato de Castro, jovem que já é uma referência na gestão pública do nosso Estado de Goiás. Muito obrigado Erneto Roller, que hoje teve o desprendimento depois de meu chamamento, de estar ao meu lado como secretário de Governo. Quero agradecer Paulo do Vale, prefeito da cidade de Rio Verde, desde a primeira hora firme nas diretrizes para que pudêssemos chegar ao governo do Estado, e Deus há de me dar esta chance de revolucionar o governo, como Vossa Excelência revolucionou a gestão Rio Verde. Ao nosso prefeito de Turvânia, Fausto Mariano, meus agradecimentos de coração.”
Antes de me dirigir à minha família, quero me dirigir aos presidentes dos pequenos partidos, que eram assim identificados e tiveram a coragem de montar conosco uma coligação, e que nesta coligação construímos alí uma vitória,não só do governador,não só do senador Kajuru, representando aqui pelo seu suplemente, Benjamin Beze, Bezinho, meu conterrâneo, deputados estaduais, federais e governador do Estado. Muito obrigado. Foi um momento importante, quando todos diziam que Caiado não conseguiria uma base de sustentação para sair candidato no Estado.
Houve um segundo movimento e aqui eu quero nominá-los: Adib Elias, muito obrigado. Obrigado pelo apoio tão delicado na nossa campanha, ele que foi também coordenador da minha campanha ao governo. Muito obrigado Renato de Castro, jovem que já é uma referência na gestão pública do nosso Estado de Goiás. Muito obrigado Ernesto Roller, que hoje teve o desprendimento depois de meu chamamento, de estar ao meu lado como secretário de Governo. Quero agradecer Paulo do Vale, prefeito da cidade de Rio Verde, desde a primeira hora firme nas diretrizes para que pudêssemos chegar ao governo do Estado, e Deus há de me dar esta chance de revolucionar o governo, como Vossa Excelência revolucionou a gestão Rio Verde. Ao nosso prefeito de Turvânia, Fausto Mariano, meus agradecimentos de coração.
E ao líder da oposição, que também teve a coragem, e a quem presto homenagem especial, deputado estadual José Nelto, hoje, deputado federal, em breve, líder do Podemos naquela Casa.
Quero encerrar, eu que pensei que iria fazer um discurso lido, até porque o momento exige, mas o meu coração não deixou e eu acabei fazendo aquilo que sempre foi o meu estilo: falar com o coração.
E agora gente, ao terminar mesmo, dizer muito obrigado aos meus irmãos, ao Roberto, meu irmão médico e que tem uma preocupação enorme comigo, todo dia. Ao Rondon, o caçula que hoje se ocupa das minhas coisas, me ajudando já que não tenho tempo para nada. À minha irmã Lilian, minha querida da nossa geração, que fomos criados no dia dia.Quero saudar Laída, esta irmã querida de todos nós e da família. Saudar a Liliane, a mais nova, guerreira e que tem um gênio que nós sabemos o quanto é lutadora. Saudar a irmã de Gracinha, Patrícia, muito obrigado pela presença. Saudar aqui o irmão de Gracinha, Décio Carvalho filho que honra o nome do seu pai. Saudar o Dagoberto, saudar meus cunhados, minhas cunhadas, saudar a minha esposa Gracinha, que tem sido uma companheira de todas as horas e a política de Goiás passou a admirar esta baiana pela sua capacidade de trabalhar e a sua capacidade de discursar para todo este povo querido. E aqui nós temos a alegria enorme de ter a presença dos nordestinos no nosso Estado de Goiás. Goiás é um Estado hospitaleiro. Goiás é um Estado que recebe todos de braços abertos.
Agora eu chego aos meus filhos; Ana Vitória, meu braço direito. Ronaldo Filho, a responsabilidade que tem e já empenhado no trabalho desde cedo. Maria, esta moça alegre, determinada que tanto parece com o seu pai. Marcela, minha caçulinha, que acaba fazendo tudo que quer comigo.
E eu encerro aqui, dizendo a vocês meu muito obrigado de coração e nesta hora pedindo a vocês: me ajudem a governar o Estado de Goiás. É momento de trabalho, vamos ao trabalho e vamos resgatar Goiás. Muito obrigado, de coração a todos vocês.
Um abraço.