O mais importante Instituto de Infectologia do Brasil, o Emilio Ribas, de São Paulo, divulgou uma nota oficial tornando pública sua oposição ao uso da Cloroquina e da Hidroxicloroquina no tratamento da Covid 19.

O médico Francisco Eduardo Cardoso Alves, nótorio defensor daqueles medicamentos e candidato na chapa oficial à Associação Médica Brasileira (chapa 1), segundo a nota, está afastado dos quadros do Emilio Ribas há dois anos e meio.

Em recente julgamento na Justiça Federal do Piauí, em Teresina, como depoente, Francisco Eduardo Cardoso Alves identificou-se falsamente como membro do corpo clínico do Instituto Emilio Ribas e atacou seus colegas que não prescrevem a cloroquina aos pacientes: “lavarão as mãos no sangue das vítimas”.

A revolta no meio médico e cientifico ocasionou a nota oficial abaixo:

NOTA DE ESCLARECIMENTO DO INSTITUTO DE INFECTOLOGIA EMÍLIO RIBAS

O Instituto de Infectologia Emílio Ribas esclarece que o médico Francisco Eduardo Cardoso Alves está afastado há dois anos e meio da instituição, não fazendo parte, portanto, da linha de frente no atendimento à covid-19. Sua posição sobre o uso da cloroquina e hidroxicloroquina não reflete a opinião do corpo clínico do hospital, tampouco os protocolos internos adotados na instituição

São Paulo, 28 de julho de 2020.