A pandemia começa o ano com um número recorde de quase 14.000 mortes por dia.

Do Carta Maior

A Organização Mundial da Saúde (OMS) relatou na terça-feira,  (05/12) um total de 13.997 mortes nas últimas 24 horas, o número mais alto em um ano da pandemia de Covid-19, cujo número total de mortes desde o início da crise de saúde chega a 1, 8 milhões.

Os casos de COVID-19 chegam a 82 milhões, sendo 693 mil deles registrados no último dia, um aumento em relação aos dias anteriores, mas que ainda não atingiu o número recorde de 20 de dezembro (841 mil infecções em um dia).

Na Inglaterra, segundo a BBC  as hospitalizações e mortes por covid-19 dispararam para muito além das previsões das autoridades e especialistas. E parte desse aumento foi atribuído a uma nova variante do coronavírus que tem chegado a diversos países, inclusive o Brasil.

O Reino Unido vive hoje uma situação muito pior do que a do Brasil — em termos de aceleração da doença. Nas últimas 24 horas, o Reino Unido registrou 58,784 mil casos novos — contra 18,102 mil do Brasil (números do portal Conass). Números semelhantes a esses têm se repetido nos últimos dias nos dois países.

A América, que registrou 6.300 mortes no último dia de 2020, soma 858.000 mortes, enquanto a Europa registrou 5.900 mortes e soma 582.000 desde o início da pandemia.

Os Estados Unidos continuam sendo o país com o maior número de mortes (335.000), seguidos pelo Brasil (193.000), Índia (148.000) e México (124.000). (Agencia EFE, Espanha e BBC, Londres)