Na véspera do julgamento decisivo sobre as demarcações de terras indígenas no país, lideranças do acampamento Luta Pela Vida entregaram ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma carta com mais de 160 mil assinaturas contra o Marco Temporal.

Aproximadamente seis mil indígenas estão em Brasília para lutar contra a agenda anti-indígena do Congresso Nacional e contra o Marco Temporal, a ser votado no STF.

Seis mil indígenas protestam em Brasília na frente da Praça dos Três Poderes contra o Marco Legal

Na carta, o manifesto pede ajuda para que a Suprema Corte proteja os direitos constitucionais dos povos indígenas. Com o Marco Temporal, os territórios indígenas só poderão ser demarcados se os povos indígenas conseguirem provar que ocupavam a área anteriormente ou na data exata da promulgação da Constituição Federal, em 5 de outubro de 1988, ou se ficar comprovado conflito pela posse da terra.

O documento foi assinado por artistas, juristas, acadêmica e diversas personalidades brasileiras.

Leia a carta, na íntegra, aqui.