Abusos no processo judicial da dupla Sérgio Moro-Deltan Dallagnol contribuiram para quebra do setor de construção civil no Brasil e o pedido de concordata da Odebretch é apenas a ponta do iceberg.

 

O Brasil inteiro está tomando conhecimento da militância política do ex-juiz Sergio Moro e do procurador da República, Deltan Dallagnol na Operação Lava Jato. Além de tratar acusados como adversários políticos, os responsáveis pela operação trouxeram graves prejuízos à economia do Brasil. Na tarde desta segunda-feira, a Odebrecht, maior empresa de engenharia do país entrou com pedido de Recuperação Judicial. O rombo é grande: cerca de 200 mil funcionários demitidos e outros 20 mil que estão na corda-bamba na Brasken, subsidiária de petróleo e gás da empresa que tem dívidas de cerca de R$ 65,5 bilhões junto a vários bancos privados e estatais.

Em comunicado da empresa, divulgado pela Agência Reuters, a companhia revela que o processo envolve 51 bilhões de reais de dívidas passíveis de reestruturação. Outros 14,5 bilhões de reais são compostos sobretudo por dívidas lastreadas em ações da Braskem e não passíveis de reestruturação.

O pedido de recuperação judicial da Odebrecht exclui Braskem, a empreiteira OEC, a Ocyan, a incorporadora OR, a Odebrecht Transport, o estaleiro Enseada, além da Atvos Agroindustrial, que pediu recuperação judicial no mês passado.