“Tem gente no PT que tem saudade da dupla Lula-Zé Alencar. Ele foi a prova que um grande empresário pode ter compromisso com o País e ter responsabilidade social. Tem gente que acalenta o sonho de termos um vice assim”, disse Fernando Haddad, na entrevista à rádio Super, de Belo Horizonte. “A gente precisa fazer com que a governança funcione. Nós não podemos ter 10 ministros da Saúde em 9 anos. Nós não podemos ter uma governança que não seja do Estado. Saúde para todos é um pilar para a igualdade social”, disse  Luiza Trajano, dona da Magazine Luiza

Do Viomundo

O presidenciável Fernando Haddad disse em entrevista à rádio Super, de Belo Horizonte, que o presidente Jair Bolsonaro não vai participar dos debates durante a campanha de 2022 e que acredita que o ocupante do Planalto vai repetir a estratégia de polarizar, como já vem fazendo com o governador João Doria.

Haddad disse que hoje muitos brasileiros sabem que o “Mito” é um santo de pés de barro, que não consegue “explicar a evolução patrimonial dele, dinheiro na conta da esposa, dos filhos, agora conseguiu na Justiça bloquear a quebra de sigilo”.

 

 

O petista parece estar disposto a usar a corrupção contra Bolsonaro.

“O que é que ele tem a esconder? Aquele Mito não existe. Ele baixa a cabeça pro Trump, agora não sabe o que fazer com o Biden”, alfinetou.

“Nós reforçamos os órgãos de corrupção como nenhum outro governo”, afirmou o ex-ministro da Educação.

Hoje, Haddad e a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, tem encontro marcado com o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, do PSD, que tem o melhor índice de avaliação dentre os prefeitos de regiões metropolitanas.

Na entrevista, o ex-prefeito de São Paulo criticou a campanha de Dilma Rousseff em 2014 por vender uma agenda otimista num momento de crise.

Para Haddad, Dilma só caiu por causa da dupla Eduardo Cunha-Geddel Vieira Lima, que “fizeram a cabeça” do vice Michel Temer de que o impeachment era o caminho para ele chegar à Presidência.

Ele elogiou José de Alencar como uma espécie de “conselheiro da República”, mas disse que não tem um vice dos sonhos.

Também elogiou Roberto Requião e Renan Filho, ambos do MDB, mas disse que seria difícil voltar a compor uma chapa com o partido.