Prefeitura também anuncia  entrega de mais seis viaturas, novos uniformes e restruturação das bases regionais da GCM em Aparecida de Goiânia

Atendendo reivindicações da categoria, o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), ampliou para cerca de R$ 3,5 mil os salários dos agentes da Guarda Civil Metropolitana. O rendimento é fruto de uma negociação com a categoria, Na manhã desta quinta-feira, os secretários de Fazenda, André Rosa, da Mobilidade e Defesa Social, Luziano da Costa e o Procurador do Município, Fábio Camargo, apresentaram em coletiva à imprensa as propostas para a categoria.

 

O reajuste será feito com o aumento em 100% no valor pago a título de taxa de risco de vida e, principalmente, pela implantação do Plano de Cargos e Salários da Guarda Civil Municipal – projeto que foi apresentado pela própria categoria em 2005.

Em todos os municípios onde há o serviço da Guarda Civil Municipal, a categoria é regida pela hieraquia militar. Em Goiânia a Guarda Civil Metropolitana é organizada tendo o comandante, sub-comandante, inspetor, sub-inspetor, guardas níveis 1, 2, 3 e pessoal administrativo.

Segundo o secretário, como a GCM faz parte do órgãos de segurança e como partícipe desse sistema exige um plano de carreira e hierarquização dos integrantes dessa estrutura. O projeto prevê progressão salarial para aqueles que mais se destacam em seus serviços, possuem um determinado tempo de trabalho no órgão e que buscaram mais qualificações profissionais. O Plano também garante a criação de uma hierarquia e disciplina dentro da instituição, além de estimular um melhor desempenho da equipe.

Aumento
Na sua fala o Secretaria da Fazenda, André Rocha explica que o vencimento final dos GCMs de Aparecida de Goiânia ficou fixado em cerca de R$ 3,5 mil, com pagamento feito dentro do mês trabalho e todos os benefícios. Ele ressalta que 13º salário foi pago integralmente em dezembro de 2018.

“Hoje um guarda municipal recebe 70% do seu rendimento como risco de vida e agora passará para 100% sobre o salário base. Com isso a média salarial atual da guarda não sofrerá nenhuma perda. Ainda há uma vantagem maior que, o normal é que quando se tira uma licença médica ou férias se perde a hora extra, e com o risco de vida isso não acontece isso. A partir de agora a Guarda Municipal de Aparecida contará com uma estabilidade financeira, com remuneração fixa”, informa o secretário da Fazenda.

Negociação e melhorias
O anúncio feito pela prefeitura atende às reivindicações da categoria como passar para 100% o pagamento do risco de vida que é calculado em cima do vencimento, implantar o plano de carreira dos GCMs, incorporar a Hora Extra no salário e melhorar a frota de veículos. O secretário Luziano da Costa enfatiza que a Prefeitura sempre esteve atenta às demandas da classe e mantém o canal de comunicação e negociação aberto permanentemente com os representantes da categoria.

“A Prefeitura tem buscado investir cada vez mais na segurança da nossa cidade, mas tudo dentro da legalidade e das condições financeiras do município”, esclarece Luziano.

Segundo o procurador Geral do Município, Fábio Camargo, menos de 30% da corporação está paralisada e que a greve não tem legalidade. “Já entramos com uma ação judicial no Tribunal de Justiça, solicitando a declaração da ilegalidade da greve, uma vez que integrantes de ógãos de segurança pública não podem fazer greve. Estamos aguardando a decisão e a nossa expectativa é que a greve será suspensa imediatamente”, disse.

O secretário de Mobilidade e Defesa Social, Luziano da Costa Vale, ressalta que a administração tem buscado fazer melhorias para segurança da cidade.

“Dobramos o número de Guardas Civis por meio de concurso público totalizando 513 GCMs, atualmente, adquirimos novos coletes, armamento e munições. Rádios comunicadores e quatro novas viatura foram entregues em junho de 2018 e em breve a Guarda contará com mais seis novos veículos. Além de tudo, estamos com processo em andamento para aquisição de novos fardamentos, e restruturação das bases da GCM”, conclui.