Prefeito foi internado na noite do dia 26 no  Hospital Santa Mônica, onde foi diagnosticado com uma trombose venosa.

Através de sua conta no Instagram, Gustavo Mendanha relatou o caso, informando que passa bem, mas continua sob cuidados na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Santa Mônica, unidade de saúde conveniada ao município.

O quadro de trombose venosa foi identificado pelo Dr. Francisco, que chefia esta ala do hospital. O prefeito foi submetido a medicação para que houvesse a descoagulação da trombose e na sequência foi encaminhado para UTI para que continue em observação, até que não aja mais nenhum risco à sua saúde.

“Ficarei aqui nos próximos seis dias, três dias na UTI e no quarto, mas quero dizer a todos que estou muito bem, estou bem medicado, bem tratado, e espero em breve estar podendo trabalhar para todos vocês. Peço desculpas pela minha ausência nestes dias, mas aqueles que tiverem cobranças ou reivindicações, que mandem para mim pelas redes sociais, que estou determinando a todos os secretários que continuem trabalhando para atender às demandas do município. Peço a todos vocês as orações e preces não só por mim, mas para toda a minha família. Quero agradecer ao carinho que vocês sempre tem dispensado à mim. Que Deus os abençoe, em breve estaremos juntos nas ruas de Aparecida”, enfatizou Gustavo.

O que é trombose venosa:

A trombose ocorre quando há formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias grandes das pernas e das coxas. Esse coágulo bloqueia o fluxo de sangue e causa inchaço e dor na região. O problema maior é quando um coágulo se desprende e se movimenta na corrente sanguínea, em um processo chamado de embolia. Uma embolia pode ficar presa no cérebro, nos pulmões, no coração ou em outra área, levando a lesões graves.

A trombose ocorre, geralmente, após cirurgia, corte ou falta de movimento por muito tempo, sendo mais frequente após procedimentos cirúrgicos ortopédicos, oncológicos e ginecológicos. Apesar de ser um problema que geralmente afeta mais mulheres, homens também podem ter trombose. Em números, quando é avaliada apenas a faixa entre 20 a 40 anos, a incidência de trombose é um pouco maior nas mulheres pela maior exposição a fatores de risco, como anticoncepcionais e gestações.