Na Assembleia Legislativa requerimento junto ao secretário de Saúde feito pelo deputado Antonio Gomide cobrava um dia D de vacinação para idosos.

Na segunda quinzena de janeiro  requerimento do  deputado estadual Antonio Gomide, enviado ao secretário de Saúde do Estado,  Ismael Alexandrino,  alertava para necessidade de um “Dia D” de vacinação para idosos e seus cuidadores.

Profissional da área de saúde, Gomide advertia para necessidade de coibir os fura-fila e dar transparência à vacinação,  evitando informações equivocadas conforme advertiu a representante do Ministério Público do Estado de Goiás, Dra Karina D’Abruzzo, em reunião com o Centro de Operações de Emergências (COE) para Enfrentamento ao Coronavírus.

Governo determina vacinação

Em live transmitida ao vivo, o governador Ronaldo Caiado informou sobre as regras para a  vacinação de idosos.

“Minha determinação, como governador e médico, é que as vacinas contra a Covid-19 que chegarem a partir de agora sejam para pessoas acima de 80 anos de idade. Terminou, baixamos para 70 anos. Depois, 60. Essa é a regra que vamos impor no Estado”, anunciou nesta sexta-feira (05/02) o governador Ronaldo Caiado.

Na  live transmitida ao vivo nas redes sociais, Caiado argumentou que a estratégia tem como objetivo proteger a população mais vulnerável ao novo coronavírus e, ao mesmo tempo, “diminuir o número de pessoas que vão para as Unidades de Terapia Intensiva (UTIs)”.

“Você vê que tem pessoas jovens recebendo vacinas e que não estão no embate direto [da pandemia]. Deixarmos nossos goianos de 80 anos acima aguardando não é lógico. A maior incidência de óbitos e complicações que temos é em pessoas acima de 60 anos de idade, principalmente os acima de 80 anos de idade. Esse é um caso grave e que nós temos que tomar providência”, refletiu.

A nova diretriz foi revelada em meio ao anúncio de que Goiás recebeu do governo federal,  na sexta-feira (05/02), mais uma remessa da Coronavac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

“Todo o pessoal que estava na linha de frente [do combate à pandemia] já foi vacinado. Agora a prioridade é só quem tem mais de 80 anos”, afirmou sobre o destino das novas doses. O Estado aguarda um parecer do Ministério da Saúde a respeito da quantidade de imunizantes a serem enviados.

Negociação com a China

Na live, o governador contou como foi a videoconferência com o embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, ocorrida nesta manhã. Na ocasião, Caiado e outros líderes que participam do Fórum de Governadores solicitaram à China o envio de mais insumos para a produção de vacinas contra a Covid-19 em território brasileiro. “Dissemos a ele da necessidade de termos o mais rápido possível [o acesso às vacinas]”, afirmou.

Caiado explicou que a proposta oferecida ao embaixador é bilateral, mas com capacidade para beneficiar várias nações. A ideia é que o Brasil ofereça sua grande capacidade de produção – que pode chegar a 1,5 milhão de vacinas por dia, a partir das empreitadas dos laboratórios da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Instituto Butantan –, mas também tenha prioridade no uso das doses.

Com informações da Secom e Alego