O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), afirmou que o comandante e demais policiais militares envolvidos na agressão à vereadora do Recife Liana Cirne (PT) foram afastados das funções e serão investigados, informou o portal G1.

Do Portal Vermelho

No (29), estudantes, movimentos sociais e até torcidas tomaram as ruas de todo o país para protestar contra o governo Bolsonaro e sua gestão desastrosa da pandemia, que já matou mais de 460 mil brasileiros e brasileiras. No Centro de Recife, a manifestação pacífica foi reprimida com gás lacrimogênio e balas de borracha.

Liana foi atingida por spray de pimenta durante a repressão a um protesto contra o governo de Jair Bolsonaro (sem partido), no Centro da capital pernambucana (veja vídeo abaixo).

Além da agressão à vereadora, Daniel Campelo, 51 anos, foi atingido no olho por uma das balas de borracha que a PM disparava. Segundo o blogueiro Hugo Gloss, Daniel sequer participava das manifestações, que vinham ocorrendo de forma pacífica. Ele trabalha com adesivagem de carros e tinha ido até o centro de Recife comprar material. Daniel foi para o hospital onde, no fim da tarde, foi informado de que perdera o globo ocular e portanto não enxergaria mais com o olho atingido, segundo Gloss.

Daniel Campelo, 51 anos, que não participava da manifestação, foi atingido por bala de borracha – Foto: Hugo Muniz

Neste sábado (29), a vice-governadora de Pernambuco e presidenta do PCdoB Luciana Santos afirmou que a dispersão do protesto, que ocorria de forma pacífica, não foi autorizada pelo governo do estado e que o episódio teria “consequências”.

“Acabo de saber do episódio da Dantas Barreto, da violência praticada contra os manifestantes e quero dizer que isso não foi autorizado pelo governo do estado. O governador Paulo Câmara tem se pautado pela democracia, pelo diálogo e, nesse sentido, aqui eu falo também como militante que sou, acostumada a estar nas manifestações populares de nosso estado e de nosso país. Nós condenamos esse tipo de atitude. E vamos tirar as consequências do acontecido”, afirmou Luciana Santos.

Além da agressão à vereadora, Daniel Campelo, 51 anos, foi atingido no olho por uma das balas de borracha que a PM disparava. Segundo o blogueiro Hugo Gloss, Daniel sequer participava das manifestações, que vinham ocorrendo de forma pacífica. Ele trabalha com adesivagem de carros e tinha ido até o centro de Recife comprar material. Daniel foi para o hospital onde, no fim da tarde, foi informado de que perdera o globo ocular e portanto não enxergaria mais com o olho atingido, segundo Gloss.

Às 16h do mesmo dia, Paulo Câmara também divulgou vídeo à imprensa, falando sobre o caso.

“O oficial comandante da operação, além dos envolvidos na agressão à vereadora Liana Cirne, permanecerão afastados de suas funções enquanto durar a investigação. Sempre vamos defender o amplo diálogo, o entendimento e o fortalecimento de nossas instituições dentro da melhor tradição democrática de Pernambuco”, afirmou o governador.

Leia também:

Violência da PM no Recife foi orquestrada, denuncia vereadora do PT

 

https://vermelho.org.br/2021/05/31/policia-para-quem-precisa-de-policia/