Deputado considera que aprovação de Goiás no RRF é uma forma de deixar de lado os desafios de Goiás e somente se preocupar em fazer ajuste fiscal.

O debate em torno do projeto de lei do Governo de Goiás que insere o Estado no Regime de Recuperação Fiscal gerou, como o esperado, uma série de debates na Comissão de Constituição e Justiça na Assembleia Legislativa.

Um dos representantes da oposição, o deputado estadual Antônio Gomide (PT) levantou questões que colocam em dúvida a assinatura por parte do Legislativo ao projeto.

“Este governo criou expectativa de uma esperança e mudança de comportamento. E em seis meses, todos estamos esperando. Em qual momento da campanha, Ronaldo Caiado condicionou a solução dos problemas de Goiás a um empréstimo? Ele não falou nada disso. Então por que, agora, esta parece ser a única solução?”, questionou o deputado.

Para Gomide, o Governo de Goiás precisa, primeiro, apresentar um projeto para o Estado para, só então, reivindicar empréstimos que se justifiquem perante a sociedade.

“Este é um projeto que compromete o Estado. Para aprovar este projeto, temos de saber qual é a intenção do governo Ronaldo Caiado. Qual é o projeto do Governo para a Saúde? Me preocupa que o único tom que o governo dá é o de esperar um empréstimo federal. Se não vier, a solução vai ser ficar reclamando do governo passado”, destacou.

Gomide considera que aprovação de Goiás no RRF é uma forma de deixar de lado os desafios de Goiás e somente se preocupar em fazer ajuste fiscal. “Me parece uma incoerência desta Casa se alinhar a esta ideia”, finalizou.