O encontro dos maiores líderes mundiais acontece nos dias 27, 28 e 29 de junho e tem como objetivo promover mundialmente o desenvolvimento econômico, político, ambiental e social.

Falta apenas dois dias para que os líderes das maiores nações do mundo se reúnam em Osaka, Japão, para o encontro do G20 de 2019, no qual serão debatidos temas econômicos, políticos, ambientais e sociais que geram grande impacto na vida da população mundial. Enquanto representantes dos países começam a chegar no Japão para o encontro que ocorre entre os dias 27 e 29 de junho, grupos de trabalho já estão há mais de um ano debatendo ideias para melhorar a aplicação das políticas públicas mundiais. Um dos principais é o C20, que agrupa representantes da sociedade civil organizada e tem o brasileiro Valdinei Valério como integrante.

Para Valdinei, que é especialista em políticas estrategistas nacionais pela Escola Superior de Guerra, ao preparar um documento, como o do C20, que será apresentado no fórum do G20, é preciso colocar os equívocos administrativos em pauta e chamar a atenção para uma falha gravíssima em todos os países, inclusive desenvolvidos e em desenvolvimento, que é a “falta de compromisso com o cumprimento do que é acordado nos espaços mundiais de discussão das políticas públicas para a juventude”.

Como representante da Rede Pró-Aprendiz, Valdinei, participou em 2017, 2018 e 2019 de encontros pelo mundo para discutir os pontos abordados pelo Grupo de Trabalho, Educação, Emprego e Inclusão do Civil 20 (C-20), em evento de preparação para o G20. E, no início do deste ano, a Organização das Nações Unidas (ONU) reconheceu na tecnologia social idealizada em Goiás pela Fundação Pró-Cerrado, por meio da Rede Pró-Aprendiz, como um modelo a ser replicado em todos os países no desenvolvimento de políticas públicas a jovens e adolescentes.

Valdinei lembra que o programa Jovem Cidadão, desenvolvido pela Rede Pró-Aprendiz, atende mais de 5 mil jovens em Goiás e que é exemplo para vários países que buscam a capacitação e desenvolvimento dos jovens. “Hoje, esse tema tem relevância global. O emprego decente, a capacitação e a atualização profissional e contínua em uma sociedade digital e de desenvolvimento local sustentável para a promoção do trabalho são os principais focos das discussões em fóruns como o G20”, explica.

No G20, essas organizações compartilham suas experiências, a transparência, o nível de desenvolvimento e mostram a vontade de contribuir com recomendações pertinentes, ao mesmo tempo em que assumem compromissos como parte de construção das políticas públicas para a juventude.

Valdinei Valério é vice-presidente da Liga IberoAmericana de Organizações da Sociedade Civil e tem garantido espaço para que as organizações da sociedade civil podem contribuir com G20. A Liga IberoAmericana de Organizações da Sociedade Civil já realizou encontros ocorreram em vários países, entre eles Suíça, em 2017, Argentina, em 2018, e no Japão, em 2019.  “A ideia é transformar os assuntos elencados nas reuniões em uma declaração a ser apresentada aos líderes e, claro, sirva de modelo para a implantação de políticas públicas”.

Para o superintende da Rede Pró-Aprendiz, ao dar voz as reivindicações da sociedade tudo que está relacionado com o social muda, principalmente quando colocamos as causas dos jovens em destaque. “Em maio nós entregamos o documento do C20 para o primeiro-ministro do Japão, Shinzō Abe, e fomos convidados a para participar do G20 em Osaka. Agora é preciso nos aproximarmos da comitiva brasileira que estará no Japão e somar nossos conhecimentos para trazer benefícios para as polícias públicas brasileira”, finalizou.