Segundo a Secretaria Municipal de Saúde,1170 pessoas infectadas seguem em isolamento domiciliar na capital.

Goiânia já soma 9.057 testes com diagnóstico positivo para o novo coronavírus. Nas últimas 24 horas foram registrados 226 casos. Além disso, segundo o Informe Epidemiológico divulgado na quinta-feira (09/07), 1170 pessoas seguem em isolamento domiciliar por conta da doença.

De acordo com os dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), 257 pacientes estão internados com a doença. Outros 7.994 já se recuperaram totalmente da infecção. Já o número de óbitos registrados na capital é de 251.

Desde o início da pandemia, 880 pacientes foram internados com a doença na capital. O número representa 10% dos casos registrados. Do total de pacientes que precisaram de assistência nas unidades de saúde, 444 foram transferidos para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Sintomas e outras características

Os sintomas mais comuns informados pelos pacientes da capital são tosse (52%), febre (49%), dor de garganta (23%), dor de cabeça (20%), dores musculares (15%) e perda do olfato (9%).

Entre os infectados, 4.646 (51%) são do sexo feminino, enquanto 4.411 (49%) são do sexo masculino. Ainda conforme o relatório, 88% dos infectados são da população em geral e 12% de profissionais da saúde.

Ações de enfrentamento

Desde o início da pandemia, a Prefeitura de Goiânia tem promovido ações para conter o avanço do novo coronavírus. No dia 13 de março deste ano o município decretou situação de Emergência em Saúde Pública. Em seguida, suspendeu as atividades com aglomeração de pessoas e o calendário letivo.

O município instalou ainda o Gabinete de Gestão de Crise COVID-19 e preparou a Maternidade Municipal Célia Câmara com novos leitos de UTI para receber os pacientes infectados. Além disso, o governo municipal iniciou um trabalho de fiscalização e determinou o escalonamento de horários para o início de expediente comercial.

A gestão também facilitou o acesso de todas as informações de enfrentamento da doença e melhorou a experiência digital dos cidadãos que buscam por atualizações sobre a situação da pandemia em seu portal oficial e nas redes sociais.

Atualmente, o município segue as recomendações do Governo de Goiás e o sistema de revezamento intermitente das atividades econômicas. A medida, de acordo com a Universidade Federal de Goiás (UFG), é fundamental para evitar a alta ocupação dos leitos e o crescimento exponencial de casos. Além disso, estuda a retomada das atuvidades de forma permanente.