Delegada Adriana Sauthier Accorsi como prefeita, e Pedro Wilson Guimarães como vice prefeito (e ambos tem ficha limpa!), reúnem todas as qualidades para ressaltarem todas as potencialidades de Goiânia.

Por Fernanda Santos*

“Quem é esse viajante, quem é esse menestrel, que espalha esperança e transforma sal em mel? Quem é esse saltimbanco falando em rebelião, como quem fala de amores para a moça o portão? Quem é esse que penetra no fundo do pantanal, como quem vai manhãzinha buscar fruta no quintal? Quem é esse que conhece Alagoas e Gerais, e fala a língua do povo Como ninguém fala mais? Quem é esse? De quem essa ira santa, essa saúde civil que tocando a ferida redescobre o Brasil? Quem é esse peregrino que caminha sem parar? Quem é esse meu poeta que ninguém pode calar? Quem é esse?” Menestrel das Alagoas – Milton Nascimento.

Se faz de suma importância ressaltar que a cidade de Goiânia-GO, precisa urgentemente rediscutir o seu Plano Diretor, as suas políticas de segurança pública, educação, saúde, e prestação de serviços públicos de qualidade, para toda a população. Não podemos esperar na atual agenda do século XXI, que tais medidas sejam tomadas sem consultar que mais vive intensamente as necessidades da municipalidade, os seus cidadãos. Cidadãos estes, que precisam contemplar a real eficácia de um pacto federativo eficiente e eficaz, sem depender do humor de seus vereadores, ou de seu prefeito (a), e seu secretariado, e os seus subordinados diretos. Mas que precisam ter devolvidos em forma de benefícios, todos os impostos pagos pelos mesmos e isso não é um mero favor ou cortesia, até porque a real concepção de servidor público, é a de servir a sociedade e não ser servido por ela, usurando a mesma em prol de interesses escusos ou obscuros.

Estamos vivendo uma eleição atípica e em meio a uma pandemia de Corona Vírus (COVID – 19) com quase mais de 170.000 (cento e setenta mil) mortos, um cenário econômico que só pela graça do eterno (e ainda tem gente que acha que a política econômica está acertada, mesmo com o preço do arroz a 30 contos), uma crise política sem precedentes, que irá se refletir nas próximas eleições em 2022, e enquanto isso o brasileiro não tem um minuto de paz! Pois a cada dia nos noticiários não se vê uma possibilidade de elaboração de um plano de união nacional (e isso vai muito além do partidarismo ou dos humores do Presidente da República), para conter e enfrentar adequadamente os problemas que tanto afligem o nosso povo. E a primeira e mais importante oportunidade de sanar tais falhas infames, é escolher bem quem nos representará diante da municipalidade, desde o vereador (a) ao prefeito (a), escolhendo pessoas sérias, probas e com passado limpo e com extensa lista de serviços prestados ao seu povo, e não pessoas alheias a realidade dos cidadãos da municipalidade, que posteriormente se eleitos (as) usarão os seus cargos para interesses escusos ou de sabe se lá quem ou o que.

Precisamos pensar equilibradamente, trazer para a nossa realidade as novidades das ciências, da tecnologia, das relações sociais, obedecendo a legislação vigente em todo o território nacional, seja na Constituição Federal, na Constituição dos Estados, nas legislações extravagantes, e no que tange a municipalidade a Lei Orgânica dos Municípios. Goiânia-GO necessita urgentemente de um novo Código Tributário Municipal, adequado a realidade de seus cidadãos e de seus negócios, de uma nova interpretação da aplicabilidade da Cultura de Paz e da Solução Adequada de Conflitos, na medida de suas competências, de um Plano Diretor em harmonia com o Direito Ambiental Constitucional, e as premissas do Estatuto das Cidades e do Estatuto das Metrópoles, de um transporte público de qualidade, agilidade e eficiência. De educação e saúde com pelo menos condições mínimas de cumprir o que a lei preleciona! Não precisa se inventar a roda está tudo devidamente estipulado, e codificado pela legislação qual a dificuldade em se cumprir o mínimo estipulado em lei?

Isto é o mínimo que se espera seja de um prefeito (a), governador (a), ou Presidente (a) da República, no exercício de suas funções. E os vereadores (as), deputados (as) estaduais e federais, e os senadores (as), em qualquer lugar da federação brasileira deverão desenvolver por e com excelência, políticas públicas eficientes em trazer melhorias para a população brasileira, visando assim o desenvolvimento e a preservação da cidadania e soberania nacionais.

Neste pleito para que Goiânia-GO, reassuma a sua posição de protagonismo além de ser a capital do Estado de Goiás, com e por excelência, perante a sua população e posteriormente com os demais cidadãos goianos, se faz necessário escolher com muito cuidado e zelo quem cuidará de nossos interesses pelos próximos (04) quatro anos, seja na vereança, como na ocupação do cargo máximo do executivo municipal, e tenho a firme convicção de que para que Goiânia seja uma Cidade Esperança para todos os seus cidadãos, não vejo melhores nomes do que os da Delegada Adriana Sauthier Accorsi como prefeita, e de Pedro Wilson Guimarães como vice prefeito (e ambos tem ficha limpa!), já que os mesmos reúnem todas as qualidades para ressaltarem todas as potencialidades de Goiânia-GO, que no momento se encontram escondidas em algum lugar nas trevas da obscuridade, já que os mesmos têm uma extensa lista de serviços prestados não só a Goiânia-GO, mas a todo Estado de Goiás, sendo considerados um patrimônio imaterial político de Goiás, assim como o ex prefeito Darci Accorsi e tantos outros que fizeram por não serem esquecidos na lembrança desta cidade, e do povo goiano. Que os argumentos indicados neste esboço tragam a uma reflexão sobre as necessidades urgentes que são inerente aos cidadãos de Goiânia-GO, e que possam ser uma porta de acesso a um voto de confiança para que a Delegada Adriana Sauthier Accorsi como prefeita, e de Pedro Wilson Guimarães como vice prefeito, possam fazer muito mais e melhor por Goiânia-GO, trazendo JUSTIÇA, PAZ e LIBERDADE para todos os cidadãos desta cidade.

 

Fernanda Santos* – Bacharela em direito, especialista latu sensu em Direito do Consumidor pela Universidade Federal de Goiás – UFG, especialista latu sensu em Direito Penal e Direito Processual Penal pela Rede Atame, capacitada em práticas colaborativas em 2018, controller jurídico do escritório Abrahão Viana – Advogados Associados, parecerista em matéria cível, foi articulista do jornal Perspectiva Lusófona em Angola (2010/2012), articulista do jornal Diário da Manhã (2009/2019), com publicações veiculadas no site Opinião Jurídica (2008/2011) e no site Rota Jurídica em Goiânia-GO (2014/2017), e pela Revista Consulex (2014/2016), e com artigos publicados pela Revista Conceito Jurídico, e Prática Forense pela Editora Zakarewicz (2019). Foi membro efetivo da Comissão da Advocacia Jovem – CAJ, da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Goiás – OAB/GO – Gestão 2013/2015.