A pesquisa Vox Populi divulgada na sexta-feira (21) confirma que o povo brasileiro voltou a ter esperança na reconstrução e no futuro do país a partir do momento em que o presidente Lula recuperou seus direitos políticos plenos, com o julgamento pelo STF da suspeição de Sergio Moro e a anulação das sentenças.

Três anos depois de ser ilegalmente cassado em seus direitos (e banido das pesquisas), a Vox mostra que Lula continua liderando a preferência do eleitorado, exatamente como estava em setembro de 2018.

Se as eleições fossem hoje, Lula venceria no primeiro turno, com 43% das intenções de voto, contra 41% da soma dos demais nomes pesquisados. Num eventual segundo turno, Lula venceria por larga margem Jair Bolsonaro (55% a 28%), Ciro Gomes (52% a 19%) ou o tucano João Doria (56% a 24%). Os resultados são consistentes com a pesquisa DataFolha divulgada semana passada, certamente pelo fato de que ambas foram feitas à base de entrevistas presenciais, que refletem com mais precisão a sociedade brasileira.

A pesquisa mostrou que, entre os que tomaram conhecimento das decisões do STF, a maioria avalia que o tribunal decidiu corretamente (53%) sobre a parcialidade do ex-juiz. A maioria (55%) também considera que houve perseguição contra Lula, Dilma e o PT tanto no impeachment quanto nos processos de Moro na Lava Jato. Estes números mostram que aos poucos a população vai tomando conhecimento da verdade, depois da mais intensa campanha de mentiras e desinformação contra um partido político e suas lideranças jamais vista.

É o retrato de um país que, como dissemos, quer se reencontrar com a esperança diante de uma situação em que 72%, segundo a pesquisa, estão insatisfeitos e quase a metade (47%) consideram Bolsonaro o pior presidente de todos os tempos. Lula, ao contrário, é considerado o melhor de todos os tempos por 46% dos pesquisados. São 46% também os que declaram que a vida piorou desde que Bolsonaro chegou à Presidência da República.

Também de acordo com a pesquisa, 54% consideram Bolsonaro totalmente responsável ou o maior responsável pelo fato de o Brasil ser hoje um dos países onde mais se morre por Covid-19. Já 79% afirmam que ele errou ao não manter o auxílio emergencial de R$ 600, algo não só necessário, diante de 39 milhões de famintos, como totalmente possível. Basta vontade política e menos submissão aos desejos egoístas do mercado.

Não surpreende, portanto, que o país sonhe agora com a volta de tempos melhores, quando havia esperança, trabalho digno e comida na mesa. O resultado da análise eleitoral, evidentemente, anima o PT e todos os que desejam virar essa página triste de nossa história. Mas não nos desvia do que realmente importa: a superação da pandemia e o fim do genocídio praticado por Bolsonaro, que já matou mais de 440 mil brasileiros. No momento, todas as nossas forças continuam voltadas para o que é prioritário: vacina para todos, auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia e fora Bolsonaro.