Em entrevista à Folha/UOL,ministro do STF diz que Operação Lava Jato agiu como “esquadrda morte”, aniquilando honra e reputações das pessoas.

A manchete vai para o que todos sabem, mas poucas têm coragem de dizer com todas as letras”: que o ‘lavajatismo é pai e mãe do bolsonarismo’, embora eu prefira dizer que foi só pai, fecundando o útero golpista de boa parte da direita (tucanato à frente) e da mídia brasileira.

Mas o essencial é p que diz Gilmar Mendes, em entrevista muito forte a Tales Faria, no UOL (a matéria está aberta, aqui) sobre a o que ele chama de “2ª chance do Judiciário”.

“Todos nós, de alguma forma, sofremos uma manipulação disso que operava em Curitiba [Moro e a Lava Jato] e acho que nós temos de fazer as correções devidas. Eu tenho dito e enfatizado que Lula é digno de um julgamento justo. Mas independentemente disso, nós temos que fazer consertos, reparos, para que isso não mais se repita. Para que não se monte mais este tipo de “Esquadrão da Morte”, porque o que se instalou em Curitiba era um grupo de “Esquadrão da Morte”.

Abaixo, a íntegra da entrevista a Tales Faria no UOL: