Presidente do Cidadania o ex-deputado Roberto Freire, concordou com a decisão do presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), de prender o ex-diretor do Ministério da Saúde Roberto Ferreira dias.

Presidente do Cidadania, o ex-deputado Roberto Freire, concordou com a decisão do presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM). Além dele, outros políticos se manifestaram favoráveis a decisão.

“Nunca uma gente tão ordinária e vagabunda teve tanto poder em Brasília. Nunca a mentira e a desfaçatez nortearam tanto como agora nossa política. Elcio Franco, Dias, Dominguetti, Wajngarten, Pazuello são sintomas do bolsonarismo. Têm um líder moral. A prisão na CPI impõe um limite”, disse.

 

O deputado e seu irmão, o servidor da Saúde Luis Ricardo Miranda, disseram à CPI que Dias fez pressão para agilizar o processo de compra e importação da vacina indiana Covaxin.

Na CPI, senadores tentaram argumentar junto ao presidente da CPI, mas os parlamentares da oposição apoiaram a decisão de Aziz.

“Não aceito que a CPI vire chacota. As pessoas estão morrendo e eles aqui brincando de comprar vacina. Ele [Dias] está preso por mentir, por perjúrio. E se eu tiver tendo abuso de autoridade, que a advogada dele ou qualquer outro senador me processe”, justificou Aziz.

“Estamos perdendo vidas, as mortes não param, falta vacina, não temos tempo pra andar em círculo enquanto os membros do Governo mentem. Apoio a decisão do senador Omar Aziz e espero que o Sr. Roberto Dias seja responsabilizado”, afirmou o vice-presidente, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Para o senador Fabiano Contarato (Rede-ES), o “erro da comissão foi não prender todos em flagrante.

Com informações do Yahoo Notícias