O jornalista Renato Rovai, da Revista Fórum comenta o twitter do presidente da França, Emmanuel Macron, que propôs reunião com os sete países mais ricos do mundo (G-7) para discutir a criminosa política (?) ambiental do governo do presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

Em meio à pressão pelo crescente número de queimadas na Amazônia, o presidente da França, Emmanuel Macron, disse nesta quinta-feira (22) que a cúpula do G7 precisa discutir os incêndios na Amazônia. O encontro está previsto para este fim de semana, em Biarritz, no sudoeste francês.

Em mensagem publicada no Twitter, Macron postou uma foto de um incêndio florestal e chamou as queimadas na Amazônia de “crise internacional” e “emergência”.

Mensagem:
@EmmanuelMacron – Our house is burning. Literally. The Amazon rain forest – the lungs which produces 20% of our planet’s oxygen – is on fire. It is an international crisis. Members of the G7 Summit, let’s discuss this emergency first order in two days! #ActForTheAmazon – 16:15 – 22 de ago de 2019

Tradução:

“Nossa casa queima. Literalmente. A Amazônia, o pulmão de nosso planeta, que produz 20% de nosso oxigênio, arde em chamas. É uma crise internacional”, escreveu.

Desde o início de 2018, o Inpe, responsável por monitorar os focos de queimadas no país, detectou mais de 72 mil pontos, especialmente em Mato Grosso, Pará, Rondônia e Amazonas. O número representa aumento de 83% em relação ao mesmo período em 2018.

Leia mais:

Ciro Gomes chama Bolsonaro de “canalha, corrupto e irresponsável”

Alemanha já fala em sanções ao Brasil

Bernie Sanders, candidato democrata á presidência dos EUA: “Bolsonaro queima a Amazônia por lucro pessoal e ameaça o planeta”

Prefeito de Nova Iorque sobre a Amazônia: “Mentiras de Bolsonaro não mudam os fatos”